OMS enviará um milhão de vacinas contra cólera ao Haiti

A possibilidade de que um surto de cólera ressurja no Haiti é especialmente alarmante, já que o país precisou lutar contra esta epidemia após o catastrófico terremoto de 2010 que arrasou o país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2016 11:26

Genebra, Suíça - A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta terça-feira (11/10) que enviará um milhão de vacinas contra a cólera ao Haiti, onde novos casos estão surgindo após a passagem devastadora do furacão Matthew na semana passada. O especialista em cólera da OMS Dominique Legros afirmou que já houve um "aumento importante" de casos no sul do país, com 148 casos detectados no departamento de Grande'Anse e outros 53 no departamento do Sul, em declarações à imprensa em Genebra.

A possibilidade de que um surto de cólera ressurja no Haiti é especialmente alarmante, já que o país precisou lutar contra esta epidemia após o catastrófico terremoto de 2010 que arrasou o país. Desde então, um total de 10 mil pessoas morreram desta doença, e uma média de 500 novos casos são registrados a cada semana nos últimos seis anos.

O número de casos começou a aumentar antes que o furacão Matthew atingisse a ilha, onde foram registrados 29 mil casos durante o ano, segundo a OMS. O furacão, que deixou ao menos 372 mortos em sua passagem pela ilha na semana passada, chegou quando se aproxima a época do ano em que ocorrem mais casos de cólera, explicou Legros. Para tentar frear a expansão da epidemia, a OMS decidiu enviar um milhão de vacinas ao Haiti para uma campanha de imunização em grande escala, declarou o especialista.

Leia mais notícias em Ciência e Saúde

São necessárias duas doses da vacina para uma proteção total, mas Legros afirmou que a OMS e as autoridades do Haiti estavam considerando mobilizar uma campanha de uma dose para pode alcançar mais pessoas. Legros explicou que uma dose da vacina pode fornecer uma proteção completa durante seis meses. Isso seria "suficiente para cobrir o período com mais risco", acrescentou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.