Estudo: peixe sofreu mutações no DNA para sobreviver em águas poluídas

Pesquisa foi conduzida por cientistas norte-americanos; segundo especialistas, a adaptação é pouco comum em vertebrados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/12/2016 06:00 / atualizado em 08/12/2016 22:56

Andrew Whitehead/UC Davis/Divulgacao


Males causados pela poluição ambiental ameaçam a sobrevivência dos bichos, que reagem, às vezes, de forma curiosa às ameaças. É o que aconteceu com os killifishes atlânticos, pequenos peixes que vivem em estuários costeiros. Na edição desta semana da revista Science, pesquisadores dos Estados Unidos mostram como alterações genéticas permitiram a esses animais viver em águas com níveis altamente tóxicos de poluentes industriais. Para os investigadores, a descoberta também poderá ajudar a entender de que forma outras espécies, inclusive os homens, podem reagir à exposição regular a produtos químicos.

Leia mais notícias de Ciência e Saúde

Estudos anteriores mostraram que populações de killifishes encontradas em estuários extremamente poluídos toleravam os efeitos tóxicos causados pelos poluentes presentes na água. A constatação intrigou uma equipe de cientistas porque essa espécie marinha era considerada vulnerável à contaminação. “Nosso estudo foi desenhado para descobrir a natureza das mudanças genéticas que foram necessárias durante a evolução de um peixe normalmente sensível em um peixe tolerante”, conta ao Correio Andrew Whitehead, um dos autores do estudo e pesquisador do Departamento de Toxicologia Ambiental da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.

Para desvendar essa adaptação, Whitehead e colegas sequenciaram o genoma completo de cerca de 400 killifishes atlânticos que viviam em estuários de três estados norte-americanos: Massachusetts, Nova Jersey e Connecticut. As regiões foram contaminadas a partir da década de 1950 por poluentes industriais diversos, como metais pesados e hidrocarbonetos. Os cientistas detectaram alterações genéticas que permitiram com que a espécie se adaptasse a esse ambiente.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.