Reduzir o sal evitaria a perda de 5,8 milhões de anos de vida

Hoje, no planeta, enfermidades do tipo tiram a vida de 1,64 milhão de pessoas anualmente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2017 06:00

Kazuhiro Nogi/AFP

Campanhas que incentivem a redução do consumo de sal podem reduzir consideravelmente as mortes causadas por complicações cardíacas, ressaltam cientistas americanos e ingleses em um estudo divulgado na última edição da revista British Medical Journal (BMJ). A equipe previu os custos e os possíveis impactos de programas governamentais com esse foco em 183 países, incluindo o Brasil, e concluiu que um plano de 10 anos que reduzisse em 10% a ingestão da substância evitaria a perda de 5,8 milhões de anos a cada 12 meses em decorrência de doenças cardiovasculares. Hoje, no planeta, enfermidades do tipo tiram a vida de 1,64 milhão de pessoas anualmente.
“Sabemos que o excesso de sal na dieta causa centenas de milhares de mortes cardiovasculares a cada ano. A questão principal é como reduzir o consumo de sal e quanto esse esforço custaria”, explicou, em comunicado, Dariush Mozaffarian, pesquisador da Escola de Ciências e Política de Nutrição da Universidade de Tufts, em Boston (EUA), em um dos participantes do estudo. A equipe considerou na projeção ações governamentais que combinassem acordos com a indústria alimentar e a educação pública e usou dados de 2010 com relação à ingestão de sódio, os níveis de pressão arterial, os efeitos da hipertensão sobre as doenças cardiovasculares, entre outros quesitos.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.