Jornal Correio Braziliense

Pessoas que fumam maconha regularmente fazem mais sexo, diz estudo

Pesquisadores reuniram dados de 50 mil pessoas que fumavam diariamente a cannabis e também as que nunca a haviam ingerido

Gabriela Vinhal
- Foto: Ethan Miller/Getty Images/AFP
 
Usuários regulares de maconha têm a vida sexual mais ativa do que as pessoas que não ingerem ou fumam com pouca frequência a substância. O estudo, elaborado por pesquisadores da Universidade Stanford, na Califórnia, nos Estados Unidos, foi publicado nesta sexta-feira (27/10), pelo Journal of Sexual Medicine.
 
Leia mais notícias em Ciência e Saúde 
 
Para chegar ao resultado, o grupo reuniu dados de cerca de 50 mil pessoas que participaram de uma pesquisa anual do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2002 e 2015.
 
 "Nós relatamos com que frequência eles fumam – mensalmente, semanalmente ou diariamente – e quantas vezes eles fizeram sexo no último mês", disse o autor principal do estudo, Michael Eisenberg, urologista do Stanford University Medical Center.
 
"Comparado aos usuários que nunca fumam, as pessoas que relataram uso diário de maconha faziam cerca de 20% mais sexo. Então, ao longo de um ano, eles estão transando talvez 20 vezes a mais", acrescentou. 

As mulheres que consumiram maconha diariamente fizeram, em média, sexo 7,1 vezes por mês. Para os homens, 6,9 vezes. As mulheres que não usaram maconha transaram 6 %u200B%u200Bvezes por mês, enquanto os homens que não usaram maconha transaram 5,6 vezes por mês.
 

Desejo sexual maior 

Quando os pesquisadores consideraram outros fatores, como o uso de álcool ou cocaína, idade, religião ou ter filhos, a associação entre a intensidade do consumo de maconha e a vida sexual mais ativa se manteve. "Praticamente todo grupo que estudamos esse padrão persistiu", contou Eisenberg.

O psicólogo Mitch Earleywine, da Universidade de Albany, explica, no entanto, que essa associação não significa necessariamente que a erva seja responsável pelo aumento do desejo sexual. "Em algumas pesquisas, vimos que as pessoas faziam mais sexo, mas pareciam ser mediadas por um tipo de personalidade que está disposta a tentar coisas novas ou a procurar emoções", afirmou. 

Outro estudo publicado em 2012 descobriu que as mulheres ficavam mais excitadas ao assistir filmes eróticos quando haviam fumado maconha. A justificativa científica para o fato é que a cannabis parece aumentar as experiências sensoriais em geral.
 
"Isso faz com que as pessoas apreciem ainda mais o momento", acrescentou o psicólogo Earleywine. "Eles gostam de comer mais, acham humor nas coisas com mais facilidade, então não seria impressionante pensar que gostariam mais do sexo", finalizou.