Uso excessivo de celular aumenta a formação de papada, diz especialista

De acordo com especialistas, tem se tornado comum a procura por tratamentos para o chamado "tech neck"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/11/2017 17:24 / atualizado em 03/11/2017 20:59

Divulgação
O uso dos smartphones já se tornou algo tão comum que mal percebemos a importância dele em nossas vidas. Você provavelmente está lendo esta notícia em um. Um estudo realizado em 2010, pela Nokia, revelou que os usuários de smartphones olham para seus dispositivos em média 150 vezes por dia. Dentre os diversos efeitos negativos que o uso excessivo do celular pode causar, está o chamado "tech neck". O nome pode parecer longe da sua realidade, mas, pasme: o tech neck nada mais é que a famosa (e temida) papada, ou queixo duplo, que tem incomodado muitos usuários ultimamente.

 

Leia mais notícias em Ciência e Saúde

 

A fisioterapeuta Caroline Costa afirma que, assim como em todo o corpo, o pescoço acumula gordura localizada, formando a papada. "A gordura é como uma massinha de modelar, quanto mais tempo passamos em uma determinada posição, mais gordura pode acumular na região", explica. Segundo ela, não se trata apenas de uma questão estética. "Recebo dos meus pacientes, que se sentem incomodados com a papada, queixas, também, de dores na coluna cervical", detalha a especialista.

 

A recepcionista Viviane Souza, 25 anos, começou o tratamento há poucos dias, mas afirma já perceber uma mudança nos traços do rosto. "Acredito que deu uma diferença, sim, apesar de ainda ser muito cedo", comemora. A jovem conta que começou a se incomodar enquanto se maquiava, e via a papada se formando. "Como sou vaidosa, procurei logo o tratamento", explica.

 

Viviane lembra que percebeu há algum tempo que, dependendo da posição que mexia no celular, formava a papada. "Às vezes eu via que, quando estava sentada ou deitada, ficava com o queixo duplo", relembra.

 

Tratamento

 

A especialista diz que o tratamento realizado chama-se Ponteira de Criolipólise. Trata-se de uma máquina que tem uma ponteira específica para atuar nessa área. A promessa é de conseguir resolver o problema em apenas uma sessão. "Depois de 30 dias os resultados aparecem de forma definitiva. Alguns pacientes precisam de uma segunda sessão, mas, via de regra, uma já resolve", detalha Caroline.

 

Segundo a médica, a procura por tratamentos desse tipo aumentou consideravelmente nos últimos dois anos. "Com o tempo, o uso do celular cada vez maior e frequente causa cada vez mais problemas cervicais, dores e a papada", avalia.

 

A fisioterapeuta conta, ainda, que recebe muitas queixas de seus pacientes e recomenda que o telefone seja visualizado mais na altura do rosto. "Tem que evitar abaixar o queixo, estando deitado ou de pé", indica.

 

* Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.