Melhoramento genético torna o DF região privilegiada para agricultura

Produtores do cerrado são beneficiados e produzem sementes fortes e de qualidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/05/2017 12:07

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press

O Distrito Federal produz cerca de 30 culturas diferentes, entre cereais, frutas e hortaliças, e é líder em ganhos de eficiência para o cultivo. “Esta é a melhor região para agricultura. São seis meses de seca e seis meses de chuva. Isso ajuda o produtor a planejar suas atividades e a fazer 360 safras por ano”, argumentou o agrônomo e diretor da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (COOPA-DF), Cláudio Malinski.

Os agricultores buscam uma certificação para os produtos locais serem reconhecidos no resto do país e no mundo. “Somos modelo para outros estados, pois investimos em tecnologias que permitiram transformar o solo do cerrado em um terreno altamente produtivo”, constatou Malinski. Os resultados são vistos em várias culturas.

O trigo é uma delas. O DF produz mais de oito mil quilos irrigados por hectare, graças aos avanços genéticos, que produzem sementes mais fortes e permitem altíssima colheita e um planejamento específico da safra por irrigação. “O lavrador gasta menos por tonelada do que no passado. A umidade do ar é baixa, as noites são frias, o que dá ao trigo boa qualidade”, informou o agrônomo. Com essa farinha, as panificadoras conseguem produzir, em média, 15% a mais com um quilo de matéria-prima, já que podem adicionar água sem comprometer a qualidade do pão, pois essas variedades apresentam alta força de glúten, o que permite maior rendimento da farinha.

No DF,  é possível colher, em média, 60 sacas de café por hectare. A média nacional é a metade. O café candango é plantado em terrenos a mil metros de altitude, totalmente irrigados, e produz frutos que têm de 10 a 15 milímetros de diâmetro. O tipo arábico é o que se ambienta melhor às características climáticas da região. “É possível planejar a floração e programar a colheita para a época da seca, o que garante a qualidade do produto que chega ao consumidor”, explicou. Atualmente, 50% do café produzido no país são cultivados no cerrado.

Oportunidades 
A região também produz quase todos os tipos de frutas tropicais e semitropicais, com destaque para a goiaba, o maracujá e o morango. Mas é responsável por apenas 50% do mercado local. De olho nessa oportunidade, nos últimos 23 anos, a área cultivada no DF cresceu 754%. “Hoje, temos grandes plantações com alta produtividade. Ano passado, um produtor de cebola conseguiu colher 150 toneladas em um hectare. Outro destaque é o Núcleo Rural de Tabatinga, considerado polo nacional de pimentões, com safra de 180 toneladas por hectare”, exemplificou Malinski. No DF, o cultivo de hortaliças também impressiona, com mais de 10 tipos de relevante potencial econômico.

Mailinski valorizou a importância do espírito ativista dos agricultores do DF, que se organizaram em cooperativas e ajudam no crescimento da economia local. “A AgroBrasília é um exemplo desse crescimento, pois traz muitas inovações para o campo”, afirmou. Maior feira agropecuária da região, a AgroBrasília acontece de 16 a 20 de maio, e espera movimentar mais de R$ 700 milhões em negócios.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.