diversão e arte
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Disco Rumores, de 1985, é relançado e confirma veia roqueira de Brasília Em honra aos velhos tempos, Isnaldo, proprietário do Sebo do Disco, que lançou a primeira versão do álbum, antecipa que "o Rumores vai sair em vinil novamente, em julho"

Diego Ponce de Leon

Publicação: 30/05/2013 06:00 Atualização: 30/05/2013 11:54

Escola de Escândalo: a mesma pegada, logo após a saída de Marielle (Arquivo CB/D.A Press)
Escola de Escândalo: a mesma pegada, logo após a saída de Marielle

“Na Concha Acústica, explode o rock brasiliense”. Foi esse o título de uma reportagem publicada pelo Correio em agosto de 1985, auge da cena punk da capital. No texto, o jornalista Irlam Rocha Lima descreve o histórico das bandas participantes e atesta a importância daquela noite, que reuniu os grupos que participaram do antológico disco Rumores, lançado no evento. Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude não estavam presentes no show. Já haviam caído na estrada. Mas Rumores deixava claro que o rock de Brasília era ilimitado (e mais pesado). Item de colecionador, o disco acaba de ser relançado.

Isnaldo Lacerda: o rock na essência (Luis Xavier de França/Esp. CB/D.A Press)
Isnaldo Lacerda: o rock na essência
O seleto repertório trazia Escola de Escândalos, Finis Africae, Elite Sofisticada e Detrito Federal. Assim como as trupes de Renato, Dinho e Philippe, as quatro bandas repercutiram nacionalmente. Frequentaram os programas de televisão e gozaram de algum prestígio no cenário nacional. Muito graças ao Rumores, que os apresentou ao resto do país. “No decorrer da carreira, acabamos não alcançando a mesma vendagem que Legião, Capital e Plebe, mas o tratamento era o mesmo. A vibração era a mesma”, arrisca Rodrigo Leitão, então vocalista da Finis Africae. O disco, inclusive, foi um dos últimos trabalhos da Finis, que ressurgiria depois com Eduardo de Moraes nos vocais. “Quando o Isnaldo me ligou com a proposta, o grupo já tinha acabado. Mas, convoquei o pessoal e fomos lá fazer o registro. Por muito tempo, ninguém soube disso”, revela Rodrigo.

Ouça Desempregados, do Detrito Federal. Uma das faixas de Rumores


Leia mais notícias em Diversão & Arte

O supramencionado Isnaldo (Lacerda) é o nome que perdura nesses 28 anos entre a primeira prensagem e o relançamento. Era ele o proprietário do Sebo do Disco, loja referência entre os roqueiros da cidade, que bancou o projeto. “A ideia foi mesmo mostrar que Brasília não era só Legião”, conta. Rumores vendeu estimadas 2 mil cópias e se tornou objeto raro. “Quem fuçar na internet encontra o vinil sendo vendido a preços altíssimos”, avisa. Para satisfazer a demanda, o material foi remasterizado e acaba de sair em CD. Em honra aos velhos tempos, Isnaldo antecipa que “o Rumores vai sair em vinil novamente, em julho”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.