Festival Latinidades encerra shows neste domingo, no Museu da República

A programação vai ser aberta às 18h30, com apresentações de Dona Martinha do Coco, Bongar, Hamilton de Holanda, Diogo Nogueira, Cris Pereira, Fabiana Cozza, Mart'nália e Naná Vasconcellos. Tudo com entrada franca

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/07/2014 12:46

Irlam Rocha Lima

O Festival Latinidades 2014, aberto na quarta-feira (23/7) chega ao final neste domingo (27) com uma série de shows, na área externa do Museu Nacional da República, na Esplanada dos Ministérios, que tem como proposta dar visibilidade ao Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. A programação vai ser aberta às 18h30, com a apresentação da brasiliense Dona Martinha do Coco e do grupo pernambucano Bongar. Na sequência, o bandolinista Hamilton de Holanda e o cantor Diogo Nogueira fazem o show Bossa negra. Em seguida, sobem ao palco as cantoras Cris Pereira (DF) e Fabiana Cozza (SP) para homenagear a escritora e ex-empregada doméstica Carolina Maria de Jesus; a sambista carioca Mart'nália e, por fim, o percussionista pernambucano Naná Vasconcellos. Tudo com entrada franca.

Leia mais notícias em Diversão & Arte

Na noite de ontem, sob baixa temperatura, 5 mil pessoas puderam apreciar impressionante diversidade de sons e estilos musicais em vários shows. Inicialmente, foi vez da rapper paulistana Lei de Dai mostrar seu trabalho, tendo boa acolhida da plateia, que às 19h30, ainda era pequena. Em seguida, houve o desfile da coleção da estilista baiana Mônica dos Anjos, que mostrou uma coleção em que homenageia o Ilê Aiyê, tradicional bloco afro baiano. Logo depois, a cantora Maliika Tirolien, de Guadalupe, arrebatou o público, ao passear pelo funk, pop e jazz.

Rômulo Juracy/Esp.CB/DAPress

Elza Soares, a atração mais aguardada, apresentou o show A voz e a máquina. Acompanhada por dois DJs, soltou a voz privilegiada ao interpretar um longo pout pourri de clássicos da música popular brasileira, levando muita gente a fazer coro com ela, em vários momentos. A performance do cantor haitiano Vox Sambou foi, também, muito aplaudida.

A bela surpresa, já na madrugada de hoje, ficou por conta da homenagem ao Buena Vista Social Club — coletivo de ícones da música cubana — feita por Ibrahin Ferrer Jr e Marina de La Riva, acompanhados por uma orquestra afiadíssima, ao interpretar salsa, boleros e ritmos afro-cubanos clássicos, encerrando com o hino Quantanamera, de Jose Martí e Joselito Fernandes.

No fechamento da programação, houve o tributo às divas do jazz, Billie Holiday, Ella Fitzgerald e Sarah Vaughan, com a participação da cantora norte-americana Alisa Sanders e das brasilienses Mara Beau e Indiana Nomma, Ellen Oléria, também tomou do show, mas optou por homenagear a diva brasileira Elis Regina. Nos intervalos dos shows, entrou em ação a DJ Donna. A estudante de música Júlia Carvalho, de 19 anos, que assistiu às apresentações até o fim, às 2h40, disse que curtiu tudo. "Mesmo com esse frio intenso, foi um privilégio estar aqui e apreciar shows tão diversos e tão bacanas".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.