SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Confira cinco filmes que estreiam nesta semana no Brasil

Entre as produções estão o longa O contador, com Ben Affleck, e o terror Ouija - Origem do mal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/10/2016 10:51 / atualizado em 19/10/2016 11:09

Ricardo Daehn


Para além da comédia nacional inspirada em filmes de lutas marciais O shaolin do sertão, em que o cearense Halder Gomes celebra a raiz do humor do estado natal com as estripulias cênicas das lutas de vale-tudo, o circuito de cinema se mostra recheado das mais diversas atrações. Na vertente do thriller, Ben Affleck encabeça as estreias de amanhã, com O contador, filme de grande repercussão no lançamento internacional.

Também respaldado por números, desemboca Ouija — Origem do mal, terror que deturpa elementos do espiritismo, traço que até pode dar as caras no ainda inédito A nona vida de Louis Drax, comandado pelo mestre do suspense moderno Alexander Aja. A promessa de entretenimento na telona se completa com dois títulos ancorados por histórias mais densas e inesperadas: Emmanuel Mouret entrega aos cinéfilos Romance à francesa, enquanto O mestre dos gênios desvenda o mercado editorial das primeiras décadas do século 20, sob direção do estreante Michael Grandage, ator e criador dos palcos britânicos. Saiba mais:

O contador
Há mais de 20 anos inserido na milionária indústria de entretenimento, Ben Affleck segue a carreira de êxitos, com o novo filme O contador. Presente em três mil salas de cinema do exterior, o longa já rendeu quase US$ 25 milhões, nos primeiros dias de exibição. No mesmo ano em que ajudou a coletar US$ 875 milhões, com o filme Batman vs. Superman: A origem da justiça, Affleck está em alta com O contador, do diretor Gavin O´Connor. Protagonista, ele interpreta um homem à margem da sociedade (por peculiaridades da mente), e que investe no casamento entre crime e inteligência. Negócios escusos dão o tom no filme estrelado também por Jeffrey Tambor (da série Transparent) e por Anna Kendrick. O longa tem potencial para alçar voo no Brasil. Entre os êxitos de Affleck, estão A garota exemplar (US$ 370 milhões, mundo afora), Armageddon (quase US$ 554 milhões) e Pearl Harbor, que abocanhou US$ 450 milhões.


Ouija — Origem do mal
Mais de meio milhão de espectadores garantiram a 67º posição entre os filmes mais assistidos em 2014, no Brasil, para Ouija — O jogo dos espíritos. Dois anos depois de o longa original, orçado em módicos US$ 5 milhões, ter arrecadado, no mercado internacional, vinte vezes o investimento inicial, a segunda parte desembarca no Brasil: é Ouija — Origem do mal. O novo longa chega às telas, um ano depois de serem concluídas as filmagens a cargo do diretor Mike Flanagane. Encabeçada por Henry Thomas, Annalise Basso e Lulu Wilson, a trama se detém num primeiro momento para o enredo contado no filme de 2014. Nada popular na escola, uma pequena garota enfrenta, em casa, a tensa situação de ver a mãe aplicando golpes, numa fantasiosa comunicação com os mortos.


O mestre dos gênios
Admirado pelo contemporâneo William Faulkner, além de inspiração para colegas do porte de Jack Kerouac e Philip Roth, o escritor Thomas Wolfe é uma das figuras centrais para o longa-metragem O mestre dos gênios, em cartaz, a partir de amanhã, na cidade. Na verdade, uma vez que é baseado no livro Max Perkins: Um editor de gênios (de autoria de A. Scott Berg), o longa trata mais da amizade de Wolfe por Maxwell Perkins, ninguém menos do que o editor de personalidades como F. Scott Fitzgerald e Ernest Hemingway. Conduzido por Michael Grandage, diretor artístico teatral, ator de filmes e estreante como cineasta, o longa inglês tem elenco estelar com direito a Colin Firth, Jude Law, Nicole Kidman e Laura Linney. O roteiro é assinado por John Logan, colaborador de Ridley Scott e de Martin Scorsese, além disso o filme traz Guy Pearce (Amnésia) e Dominic West (300), nos respectivos papéis de Fitzgerald e Hemingway.


Romance à francesa
Seguindo a linha adotada, de comédias ligeiras aninhadas em emaranhado de sentimentos contraditórios — vide Um novo dueto (2013), Faça-me feliz (2008) e A arte de amar (2011) –, o diretor francês Emmanuel Mouret aposta em reviravoltas, na trama de Romance à francesa, também previsto para estrear no circuito de cinemas. No longa, ele mesmo dá vida ao professor Clément, detido numa relação satisfatória com a atriz interpretada pela bela Virginie Efira (estrela do recente Um amor à altura). Plenamente acomodada na postura de amante, Caprice (Anaïs Demoustier) surge para balançar a situação, com outro elemento complicador: no papel de Thomas, amigo de Clément, o ator Laurent Stocker vive personagem que igualmente se interessa pela moça.


A nona vida de Louis Drax
Até os 9 anos de idade, muita coisa vai torta, na vida do personagem Louis Drax (Aiden Longworth), protagonista do mais recente suspense criado pelo diretor francês Alexandre Aja, o mesmo de Alta tensão (2003) e Piranha (2010). Depois de quase morrer, em função de um acidente, Drax, até o momento ofuscado por uma vida repleta de sombras, esbarra no Doutor Allan Pascal, interpretado pelo astro de Cinquenta tons de cinza, Jamie Dornan. Três anos depois de rechear, literalmente, a cabeça do astro Daniel Radcliffe de cornos, no terror Amaldiçoado (2013), Aja responde pela curiosidade do destino da imagem do ator que dá vida ao popular Christian Grey (Dornan) das telonas.


Aguarde!
A garota no trem (27 de outubro)


Doutor Estranho (3 de novembro)


Snowden (10 de novembro)


Animais fantásticos e onde habitam (17 de novembro)


Jack Reacher — Sem retorno (24 de novembro)


Elis (24 de novembro)

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade