SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Hoje é o dia do poeta! O Correio indica três poemas marcantes

Charles Bukowski, Vinicius de Moraes e Nicolas Behr marcaram gerações de artistas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2016 16:24 / atualizado em 20/10/2016 16:24

Film-forward/Divulgacao
 
Hoje se celebra o Dia do poeta e, em homenagem à data, o Correio indica três poemas de poetas que marcaram a cidade de Brasília e o mundo com suas palavras: Charles Bukowski, Vinícius de Moraes e Nicholas Behr.

Charles Bukowski
Henry Charles Bukowski Jr, ou Charles Bukowski, é um poeta naturalizado americano, nascido na Alemanha, que marcou uma época pelo jeito simples, obsceno e visceral de escrever. Bukowski nasceu em 1920 e teve problemas com bebida durante toda a vida adulta, morrendo aos 73 anos por causa de leucemia. A última obra dele foi Pulp, lançada pouco após sua morte.

Poema nos meus 43 anos
 
terminar sozinho
no túmulo de um quarto
sem cigarros
nem bebida—
careca como uma lâmpada,
barrigudo,
grisalho,
e feliz por ter um quarto.
…de manhã
eles estão lá fora
ganhando dinheiro:
juízes, carpinteiros,
encanadores , médicos,
jornaleiros, guardas,
barbeiros, lavadores de carro,
dentistas, floristas,
garçonetes, cozinheiros,
motoristas de táxi…
e você se vira
para o lado pra pegar o sol
nas costas e não
direto nos olhos.

Vinicius de Moraes

Diplomata, jornalista e cantor, Vinicius sempre se identificou mais com o lado poeta. Compôs canções ao lado de grandes nomes da Bossa Nova como João Gilberto, Carlos Lyra e, claro Tom Jobim, com quem fez Garota de Ipanema, uma das músicas brasileiras mais famosas da história. Vinícius morreu em 1980 e teria completado 103 anos dia 19 de outubro.

Pela luz dos olhos teus

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

Nicolas Behr

Brasiliense de coração, o cuiabano adotou a capital do país como sua casa e tema de muitos de seus escritos. Um dos nomes do movimento da poesia no mimeógrafo, o poeta lançou sua primeira obra em 1977, aos 19 anos e atualmente tem mais de 30 livros publicados.
 
 
SQS415F303
SQN303F415
NQS403F315
QQQ313F405
SSS305F413

seria isso
um poema sobre brasília?
seria um poema?
seria brasília?

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade