SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Leonard Cohen, aos 82 anos, lança disco e fala sobre a morte

O cantor afirmou que 'You want it darker' pode ser seu último disco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/10/2016 07:00 / atualizado em 23/10/2016 15:25

Alexandre de Paula - Especial para o Correio /

REUTERS/Valentin Flauraud
 

Aos 82 anos, Leonard Cohen assustou muita gente ao dizer recentemente, em entrevista à revista New Yorker, que está pronto para morrer. “Espero que não seja muito desconfortável”, disse o cantor e compositor. Sem subir aos palcos desde 2003, Cohen lança agora o disco You want it darker. E canta, com a voz rouca e impositiva: “I’m ready, my Lord” (“Estou pronto, meu senhor”, em tradução livre).

Embora a declaração de Cohen tenha causado rebuliço e até feito com que o músico se explicasse, o tema da morte é algo com que o compositor já vem trabalhando há algum tempo. Em julho deste ano, depois da morte da companheira Marianne, Cohen escreveu uma emocionada carta de despedida e disparava: “Bem, Marianne, chegamos a este ponto em que somos tão velhos que os nossos corpos se desfazem; penso que te seguirei em breve”, escreveu.

Já em uma audição para a imprensa sobre o novo disco, Cohen colocou panos quentes sobre a declaração e tentou ser otimista. “Recentemente, disse que estava pronto para morrer e acho que exagerei. Quero viver para sempre”, explicou, durante a apresentação do novo álbum, em Los Angeles.

Na entrevista à New Yorker, Cohen disse também que You want it darker poderia ser, de fato, o último disco. O cantor teria canções inacabadas, mas não sabia se teria tempo para terminá-las. Na despedida da audição, no entanto, ele deixou transparecer um pouco de esperança de que venham novos trabalhos. “Espero que possamos fazer isto novamente, quero ficar por aqui até os 120”, brincou.

Apesar do otimismo, Cohen provavelmente não será capaz, por causa da idade, de fazer novas apresentações e turnês com o disco. A saúde debilitada o incomoda, mas a calmaria da velhice o agrada. “Tenho muito menos distrações que em outros períodos da minha vida e, na verdade, isso me permite trabalhar com um pouco mais de concentração e continuidade do que quando tinha obrigação de ganhar a vida, de ser marido e de ser pai. A única coisa que impede uma produção plena é o estado do meu corpo”, disse à New Yorker.

Religião
Em You want it darker, a poesia de Cohen retorna a temas que já fizeram parte da obra do compositor, como a religiosidade. Deus é presença constante, assim como a sombra da morte. A velhice, no entanto, tirou de Cohen um pouco da angústia que marcava os discos anteriores do cantor.

Sobre a religião, Cohen recusa o rótulo de religioso e se liga a qualquer coisa que possa dar algum resultado. “Tudo, catolicismo romano, budismo, LSD, sou a favor de tudo o que funcione”, disse à revista. Com dedicação, ele conta que lê hoje o Zohar (o livro que fundou a Cabala), a Bíblia Hebraica, evangelhos apócrifos e ensaios sobre a filosofia hindu. “A religião continua sendo minha paisagem. Tento ter certeza de que essas referências não sejam muito estranhas”, comentou na audição.

Um dos cotados  há anos para ganhar o Prêmio Nobel de Literatura (vencido por Bob Dylan neste ano), Cohen nem precisou de perguntas para se posicionar sobre a vitória do americano. “Vou dizer uma coisa sobre o Prêmio Nobel. Para mim, é como colocar uma medalha no Monte Everest por ser o mais alto do mundo”, disse. Para ele, é o prêmio é óbvio e só um detalhe diante da grandeza de Dylan.

Idas e vindas
Cohen sempre foi muito mais poeta do que cantor. Tanto que, no início, a certeza é de que se tornaria escritor. A música só entrou de fato na vida do canadense porque ele percebeu que poderia pagar contas assim. O primeiro disco veio tarde, aos 32 anos, em 1967.

E a decisão nunca foi total. Durante toda a carreira, Cohen permaneceu indeciso entre se entregar à música ou se manter apenas  na literatura. A vida do canadense sempre foi movimentada, no entanto, uma das passagens muito lembradas foi que, mesmo judeu, Cohen, em 1994, virou monge zen-budista e se enclausurou na Califórnia. Depois de sair, teve dúvidas se a experiência lhe acrescentou algo espiritualmente.


You want it darker
De Leonard Cohen. 9 faixas. Disponível no Itunes. US$ 9,99.

 

Ouça o disco:

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade