SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

A garota no trem e outros seis longas estreiam essa semana

Entre os recém chegados, Amnésia, Boys, satânico e a animação Trolls

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 07:30 / atualizado em 27/10/2016 11:18

Adriana Izel



No ano passado, a escritora Paula Hawkins lançou o thriller psicológico A garota no trem. A obra logo se tornou um best-seller, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos. O sucesso do livro fez com que a história ganhasse uma adaptação cinematográfica, que estreia hoje nos cinemas. A produção tem direção de Tate Taylor, que dirigiu o premiado filme Histórias cruzadas, em 2011. Na América do Norte, o suspense estreou em primeiro lugar nos cinemas, conquistando uma bilheteria de US$ 24,7 milhões. A expectativa é de que atinja números altos também no Brasil.

Na versão dos cinemas, a atriz Emily Blunt (Sicário: Terra de ninguém) dá vida a Rachel, uma mulher divorciada, desempregada e alcoólatra, que diariamente, pega um trem em Nova York. Durante a pequena viagem, a protagonista observa as casas no caminho. Ela, inclusive, tem uma atenção especial onde vive um casal. Certo dia, Rachel se surpreende com a presença de um outro homem no local e, coincidentemente, um dia depois a moradora da casa, Megan (Haley Bennett), desaparece. Sem conseguir esquecer o assunto, Rachel faz de tudo para desvendar o mistério. O problema é que a personagem não conhece a desaparecida e o seu marido Scott (Luke Evans) e sequer é uma testemunha confiável, já que costuma ter amnésias por conta do uso em excesso de bebidas alcoólicas.

Como no livro, o filme tem Rachel como narradora da história, ao mesmo tempo que tem outros dois pontos de vistas de Megan e de Anna (Rebecca Ferguson), a atual mulher do ex-marido de Rachel, Tom (Justin Theorux). Assim como outro sucesso literário que ganhou às telonas, Garota exemplar com Ben Affleck, A garota no trem aposta no suspense, que faz com que o leitor (ou, nesse caso, espectador) suspeite de envolvimento de quase todos os personagens no desaparecimento de Megan. Outra similaridade com a fita, são os espaços não cronológicos na história, além do fato de crise em relacionamentos amorosos como pano de fundo.

Filme x livro

Em qualquer adaptação de uma obra literária para os cinemas são aguardadas mudanças. E é exatamente isso que acontece com a versão cinematográfica de A garota no trem. A começar pelo local, se no livro Rachel sai de Ashbury em direção a Londres, no longa, a personagem vive há alguns quilômetros de Manhattan, em Nova York, para onde ela segue diariamente.

Outra diferença está na trajetória da história. O roteiro leva o espectador a mesma resposta do livro, mas as escolhas para seguir aquele caminho são distintas. O que pode ser justificado pelo fato de que o filme precisa de um ritmo mais acelerado em relação ao livro.

Como A garota no trem foi um dos livros mais vendidos do último ano, espera-se que o sucesso das prateleiras se transfira para a telona. Entretanto, é exatamente no público que desconhece a história que o filme pode funcionar —ao não ter com o que comparar, o espectador não sentirá falta de alguns aspectos importantes da narrativa literária.

Outros lançamentos

Amnésia

O longa-metragem francês chega ao Brasil com um ano de atraso. Com direção de Barbet Schroeder, a produção é protagonizada por Marthe Keller, que interpreta a personagem Martha, uma mulher que vive sozinha em uma casa de frente ao mar em Ibiza. Sua vida muda quando ela conhece Jo, papel de Max Riemelt (conhecido pela atuação na série Sense8, da Netflix), um jovem músico que sonha em se tornar DJ de uma famosa boate, chamada Amnesia.


Boys
Com direção de Mischa Kamp (Um presente para Winky e Jongens), o longa-metragem holandês gira em torno de Sieger, papel de Gjis Blom, um atleta de 15 anos que treina para uma competição de uma corrida de revezamento. A rotina do jovem muda com a chegada de um novo integrante da equipe, Marc (Ko Zandvliet), por quem ele começa a desenvolver sentimentos amorosos. Inicialmente, Sieger quer manter o romance em segredo, mas percebe que não conseguirá.


Demônio de neon
O filme traz Elle Fanning, irmã mais nova de Dakota Fanning, como a protagonista Jesse, uma jovem que chega em Los Angeles com o objetivo de se tornar modelo profissional. O longa, de direção de Nicolas Winding Refn (Drive e Só Deus perdoa), mostrará como a personagem terá que lidar com o ego inflado das modelos de sua agência.


Fora de rumo
Do diretor Renny Harlin, a produção conta a história do detetive de Hong Kong, Bennie (Jackie Chan), que tem investigado o chefe do crime Victor Wong nos últimos anos. No entanto, quando sua afilhada se envolve com criminosos chefiados por Wong, ele precisa investigar Connor Wats, papel de Johnny Knoxville, que, na verdade, também quer desmatelar o grupo de Wong. A dupla então embarca numa aventura que os leva desde as montanhas na Mongólia até dunas do deserto. Apesar do enredo até parecer sério, o filme é uma daquelas “comédias-pastelão” características nos currículos de Chan e Knoxville.


Satânico
Há alguns dias do halloween, o terror Satânico estreia hoje nos cinemas. A fita acompanha quatro jovens que seguem para Los Angeles em busca de espaços onde foram realizados atos de satanismo. O que eles não esperavam eram acabar em um local durante um misterioso ritual em que uma menina seria morta. O filme tem direção de Jeffrey G. Hunt e no elenco os atores Marc Barnes, Sarah Hyland e Steven Krueger.


Trolls
Dos criadores de Shrek e Madagascar, Mike Mitchell e Walt Dohrn, a animação apresenta a história dos Trolls. Criaturas lideradas por Poppy, uma troll extremamente feliz, que, pela primeira vez, precisa enfrentam um ataque de Berguen. Na versão americana, a produção tem dublagem de grandes estrelas como Anna Kendrick (Poppy), Justin Timberlake (Tronco), Gwen Stefani (DJ Suki), Russel Brand (Creek) e Zooey Deschanel (Bridget).

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade