Salas de cinema de Brasília exibem filmes nacionais a R$ 3

"Projeta Brasil' chega à 17ª edição, com ingressos baratos e pluralidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/11/2016 07:30 / atualizado em 07/11/2016 11:10

 

Paris Filmes Produções/Divulgação
 

 

Um verdadeiro caldeirão de opções de longas-metragens nacionais estará disposto na Rede Cinemark que, em Brasília, contará com a adesão dos complexos de cinema do Pier 21, do Shopping Iguatemi e também no Taguatinga Shopping. Na 17ª edição, o Projeta Brasil traz à capital a possibilidade de 25 escolhas, entre os sucessos brasileiros de bilheteria desde novembro de ano passado. Na liderança, entre os 10 filmes mais assistidos no país, com 11,3 milhões de ingressos pagos, Os dez mandamentos é a principal atração. O dinheiro arrecadado com o projeto será revertido para incremento da indústria nacional de filmes. Para se ter uma ideia do êxito de Os dez mandamentos, basta observar que o segundo longa mais visto, no ano, foi Capitão América — Guerra Civil, com venda de 9,6 milhões de ingressos.

Claro que, grosso modo, o propulsor da indústria brazuca se concentra no segmento de comédias. O gênero ocupará boa parte da programação do Projeta Brasil. Um namorado para minha mulher e Tô ryca, por exemplo, ganharão sessões nos três complexos locais da rede Cinemark. De onde eu te vejo, uma comédia inteligente e encharcada de sensibilidade, por exemplo, é outra possibilidade.

Respondendo até hoje por quase 3,7 milhões de ingressos comercializados no país, o segmento de entretenimento infantojuvenil está representado pelos sucessos É fada! e Carrossel 2 — O sumiço de Maria Joaquina, longas pinçados para o Projeta Brasil. Apenas exibido no Iguatemi e em Taguatinga, O escaravelho do diabo, baseado em um best-seller nacional setentista, é outra possibilidade para o público mais novo e para os adultos saudosistas.

Com diálogo direto ligado à juventude Mãe só há uma, um dos filmes unicamente exibidos no Pier 21, encabeça um seleto grupo audiovisual, ao evidenciar a direção da cineasta Anna Muylaerte. O longa Aquarius (do pernambucano Kleber Mendonça Filho) se vale de bela interpretação de Sônia Braga, enquanto, também no Pier 21, será possível rever Glória Pires ostentando um retrato muito digno de Nise da Silveira, no longa Nise — O coração da loucura.

 

 

Reprodução da Internet

 

 

Tela esportiva

Outro chamariz do Projeta Brasil é o filão reservado aos esportes. No caso do sucesso Mais forte que o mundo — A história de José Aldo, que até hoje acumulou 560 mil espectadores, o enredo do lutador de MMA alcançará os três complexos do Cinemark no DF. No Pier 21, despontam duas raras ramificações de gênero, quando se trata de esportes: premiado no último Festival de Gramado, O roubo da taça é uma comédia bem engraçada, detida no destino da taça Jules Rimet, na década de 1980; enquanto Paratodos se apoia no documental. Partindo da realidade paralímpica, o filme enfoca não apenas o aspecto da inclusão, mas rende uma boa revelação do que sejam os resultados práticos daqueles que, no dia a dia, se esforçam para os rendimentos pessoais, com a dedicação como aliada.

A valorização das mulheres como protagonistas (ao lado de dois diretores locais), embala duas produções a serem exibidas no Taguatinga Shopping: Entre idas e vindas (de José Eduardo Belmonte) e Uma loucura de mulher (de Marcus Ligocki Júnior). Iniciativas particulares de cinema nacional estão celebradas em dois filmes selecionados apenas para o complexo do Iguatemi: Em nome da lei e O caseiro.

» Comédias e números

» Até que a sorte nos separe 3 — A falência final  1,5 milhão (público)
» Um suburbano sortudo 1,07 milhão (público)
» Porta dos Fundos — Contrato vitalício 454 mil (público)

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.