SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Vinte anos depois da separação, músicos do Guns N' Roses se unem em turnê

A banda toca em Brasília no domingo no Mané Garrincha

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/11/2016 07:30 / atualizado em 14/11/2016 19:04

Alexandre de Paula - Especial para o Correio /

Katarina Benzova/Divulgação

Poucos anos atrás, ninguém acreditaria que era possível ver Axl Rose e Slash dividindo o mesmo palco. As brigas, as confusões e as trocas de farpas entre os membros de uma das maiores bandas da história do hard rock, o Guns N’ Roses, faziam, de fato, parecer impossível imaginá-los tocando juntos outra vez. Vinte anos depois de se separarem, os músicos voltaram ao palco neste ano e fazem agora uma turnê na América Latina, que inclui Brasília.

Desde a terça-feira (8) tocando no Brasil, os músicos passam por Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba antes de chegar à capital do país. Em Brasília, o show, que encerra a turnê em terras tupiniquins, ocorre no domingo (20), no Estádio Nacional Mané Garrincha.

No repertório do show, devem estar todos os clássicos da banda, como Sweet child o’mine, Don’t cry (a banda tem alternando entre ela e Patience nas apresentações da turnê), November rain, You could be mine e Civil war, além de covers importantes para a história da banda, como Knocking on heaven’s door (Bob Dylan) e Live and let die (Paul McCartney).

Ansiedade

A expectativa para a apresentação do Guns na capital é grande. O sonho de ver boa parte da formação original no mesmo palco é compartilhado tanto por quem viu o auge do Guns quanto por quem nem havia nascido quando a banda tocou os acordes de Sympathy for the Devil (última música gravada com Slash na banda) pela primeira vez.

Arquivo Pessoal/Divulgação
A estudante Daniela Teixeira, 16 anos, é uma dos que ainda nem haviam nascido quando o grupo estourou nas paradas de sucesso. Talvez até por isso a oportunidade inesperada de ver o grupo, quase em formação original, se transforme em algo tão intenso. “É maravilhoso o que está rolando e ainda não quer cair a ficha de que eu vou ver os três da formação original (Axl Rose, Duff McKagan e Slash). Talvez eu desmaie antes de começar”, conta.

Daniela conheceu a banda em um DVD de flashbacks da mãe, que trazia a canção Don’t cry. “Hoje o que ainda me faz amar Guns é acreditar que eles ainda têm muito para oferecer. Querendo ou não, a banda tem poucos álbuns lançados para uma banda de 30 anos”, tenta explicar a paixão.

Também estudante, Bruno Vasconcelos, 17 anos, é outro do time jovens apaixonados por Guns. O show em Brasília vai ser o terceiro do garoto, que espera que a apresentação seja a mais importante da vida. “Acho que vai ser o show da minha vida e da vida de qualquer um que escute Guns, esperei isso por muito tempo. A noite do dia 20 vai ficar marcada para sempre”, acredita.

“Nem é a formação original toda, mas, mesmo assim, ver Slash e Axl, dois grandes mitos da música, juntos, ainda mais depois de toda treta, é algo que anos atrás para qualquer um seria a coisa mais impossível de acontecer; é uma sensação que não dá para explicar, ainda mais pra quem é fã mesmo da banda”, garante Bruno.

Arquivo Pessoal/Divulgação
Já a dona de casa Eliane Hoffman, aos 41 anos, é dos que lembram da banda ainda em atividade. Ela conheceu o grupo, aos 16 anos, ao ver um clipe do Guns na tevê. “O que me chamou a atenção na banda foi a voz do Axl, o jeito que ele dançava e o achava lindo e me achava parecida com ele”, brinca. “As músicas eram incríveis, o Slash era o melhor guitarrista que já havia ouvido tocar, foi amor à primeira vista mesmo”, lembra.

Ir ao show de domingo, acredita Eliane, vai ser a realização de um sonho antigo e, por muito tempo, inalcançável. “Sinto uma mistura de sentimentos, euforia, ansiedade, felicidade meio indescritível. Eu me sinto como se tivesse novamente com 18 anos, realizando o sonho que naquela época não consegui realizar”, acredita.

De Salvador

Universitário, Eric Oliveira, 20 anos, vai sair de Salvador para assistir à banda aqui. Por causa do grupo, ele fez amigos na cidade. “Eu os conheci aí pelas redes sociais em 2014 quando acompanhava a última passagem da banda pelo Brasil.” Eric é administrador da Guns N’ Roses Brasil Fã Clube, uma página de fãs da banda, com mais de 68 mil seguidores, no Facebook.

“Depois de muitas tentativas, esse vai ser meu primeiro show, para ter shows internacionais de grande porte aqui no estado é bem difícil. Enfim eu estou bastante curioso para ouvi-los ao vivo e vê-los pessoalmente juntos (Axl, Slash e Duff)”, comenta.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade