SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

A música eletrônica se destaca nas noites de Brasília

A diversidade sonora é a grande característica da cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/11/2016 07:30

Irlam Rocha Lima

 

 

Não é de hoje, mas cada vez mais os donos de bares, cafés e restaurantes têm investido em música ao vivo e também em DJs para conquistar novos clientes e manter os frequentadores considerados assíduos, principalmente em tempos de crise. Projetos são criados e desenvolvidos em vários desses estabelecimentos comerciais. Alguns ocorrem em dias específicos, outros praticamente durante toda a semana.

A iniciativa mais recente é a do sofisticado restaurante Oscar, do tradicional Brasília Palace Hotel. Ali, passou a funcionar às sextas-feiras o Music & Fun, no mesmo espaço ocupado pelo piano bar, ponto de encontro, em tempos heróicos, dos assessores do presidente Juscelino Kubitschek e de diretores e engenheiros de empresas construtoras, que participaram da saga de Brasília.

E o que vem a ser Music & Fun? Trata-se de uma pré-balada moderninha, criada por André Octávio, coordenador da rede Plaza Brasília de hotéis. Ele trouxe para cidade a experiência vivenciada em Miami, durante três anos, como estudante de Business General Management.

Projetos assemelhados, ou com características diferentes, têm sido implantados igualmente no Pinella (Asa Norte), Dudu Bar, Loca como Tu Madre e Universal Dinner (Asa Sul), Oliver (Setor de Clubes Sul), Bamboa Restaurante (próximo ao ParkShopping) e Piratas (Águas Claras). Mas há outros lugares onde a música mecânica, é oferecida como trilha sonora, a partir de play list previamente elaborada. O Correio relaciona aqui alguns desses redutos em que bebida, comida, música eletrônica e bate-papo convivem harmoniosamente.

 



Oscar Restaurante (Setor de Hotéis e Turismo Norte) 
Music & Fun, sob o comando da DJ Paula Torelly (foto), às sextas-feiras, a partir das 20h, é um “esquenta” para quem, mais tarde, pretende assistir a um grande show ou se jogar numa balada. “Criamos um ambiente descontraído, com iluminação diferenciada, no qual pessoas podem dançar, ouvindo o som de DJs”, diz André Octávio. Não recomendado para menores de 18 anos.


Oliver (Setor de Clubes Sul) 
A música ambiente, com playlist elaborado por Renato Azambuja, vocalista da banda Surf Sessions, dá o tom no restaurante do Clube de Golf. Semanalmente, às quintas-feiras, a partir das 20h, o DJ Sérgio Blake (foto) anima o ambiente da casa com seus sets em que predominam o deep house e osoulful, antecedendo shows de bandas. “O que eu toco é uma música com mais groove, meio praiana”, explica Blake. Classificação indicativa livre.

La Rubia Café (404 Norte) 
Festas temáticas ocorrem em todo primeiro sábado do mês neste café da Asa Norte, que tem como DJ residente a drag queen La Rubia (foto). “Em uma cidade que tem na pluralidade uma de suas características mais marcantes, um ambiente inusitado e intimista é um convite aos mais diversos tipos de encontros”, adianta Marcelo Galo, um dos proprietários. Não recomendado para menores de 18 anos.


Pinella (408 Norte) 
Na rua em que há uma predominância de jovens, o Pinella destaca-se por oferecer uma programação musical interessante. Às segundas-feiras, o DJ Maraskin toca rock, a partir das 18h; às quintas, o DJ Ben Duanny (foto) ataca de preciosidades do jazz, blues e rock; às sextas, é dia do Baratotal, com o badalado DJ Barata; enquanto o DJ Manollo revisita clássicos do rock e da dance music, aos sábados.  Não recomendado para menores de 18 anos.


Dudu Bar (303 Sul) 
Bell Mesk (foto), um dos DJs e produtores com mais tempo no circuito dos bares e restaurantes da cidade, é responsável por apreciados remixes de músicas de Mau Mau e Justin Timberlake. Com 25 anos de carreira, ele é residente do Dudu Bar há oito. “Sou um DJ de house, me apresento às quintas e sextas-feiras, a partir das 20h, e tem muita gente que e curte os remixes que faço há bastante tempo”, comemora Bell. Classificação indicativa livre.

Faixa de Gaza (Edifício Praiamar, CNF 1, Taguatinga) 
“Democraticamente, os próprios clientes escolhem a música que querem curtir, acionando o leptop, que está conectado ao YouTube. São músicas que fazem parte da história do bom e velho rock’n’roll”, revela o fotógrafo e agitador cultural Ivaldo Cavalcante (foto), dono do bar que fica anexo à galeria de arte Olho de Água. “Ouve-se de tudo, de Beatles a Nirvana, de Led Zeppelin a Legião Urbana”, complementa.


Restaurante Universal (210 Sul) 
O clima é de festa no bar do Universal toda noite, depois das 20h. De segunda a quinta-feira, o spotfy é acionado e ouve-se de Menudo a Coldplay. Às quintas e sextas-feira, o DJ Boy, 15 anos no comando das picapes, toca de tudo. “Uma vez por mês a atração da casa é a DJ gaúcha Sophia Dalla Voguet (foto). No dia 8 de dezembro ela agita o Réveillon dos Ansiosos”, anuncia Mara Alcamim, a dona do restaurante. Não recomendado para menores de 18 anos.

Loca Como Tu Madre (306 Sul, Bloco C, Loja 36) 
Programação variada de segunda-feira a sábado, à base de rock, soul, funk e grooves. Às sextas, a partir das 20h, os DJs Nagô e Wash (foto) estão à frente do projeto Mi Casa, Su Casa. “Estamos no gastropub há quatro anos, com sets quer incluem desde soul music a sambas tradicionais. A programação musical transformou-se em referência da casa”, afirma Nagô. Não recomendado para menores de 18 anos.


BierFass (Centro Comercial Gilberto Salomão) 
Um dos precursores do ofício de DJ na capital, com 40 anos de carreira, Elívio Blower (foto) continua requisitado. “Às sextas-feiras sou residente do tradicional BierFass, onde inicio a apresentação às 21h. Mas às às quintas-feiras e sábados estou no Deck do Dudu (QI 11do Lago Sul), onde meu primeiro set é às 21h. Já no domingo marco presença no Dudu Bar (também na QI 11), às 19h”, festeja. Classificação indicativa livre.


Rio Lounge Bistrô (404 Sul) 
Às quartas-feiras, a partir das 19h, a casa promove a Lady’s Night, que dá ênfase à black music nacional e internacional. “Sou DJ residente do Rio Lounge há dois anos e nesse evento revezo com os DJs Endi e Belo. A festa é à base de funk, soul music e disco music, indo de Michael Jackson a Tim Maia; e a faixa etária do público vai dos 25 aos 30 anos”, diz o DJ Soulto (foto). Não recomendado para menores de 18 anos.


Piratas (Shopping One/ Águas Claras) 
Bem variada é a proposta musical do Piratas, inaugurado há 6 anos. “Buscamos atender ao gosto da nossa clientela, que é bastante heterogênea. Aqui, ouve-se do pop rock à música sertaneja, passando, é claro, pela MPB”, enfatiza Arthur Weiler, um dos sócios da casa. Às sextas-feiras, a partir das 22h, o DJ Bola (foto) assume as picapes e ataca de funk, hip-hop e house. Não recomendado para menores de 18anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Rogerio
Rogerio - 19 de Novembro às 13:20
Boa matéria. Mas faltou pesquisar melhor e falar de outras cidades e não ficar preso a "burguesia", na "periferia", Recanto das Emas, Gama, Samambaia, Ceilandia e Taguatinga existem outros projetos. DOC Lounge, El Sexto, Batucada Eletrônica. Todos lutando pela cultura.

publicidade