SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

La La Land leva tudo e é o grande vencedor do Globo de Ouro; veja como foi

A homenageada da noite Meryl Streep politizou a premiação com um forte discurso sobre empatia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/01/2017 02:15 / atualizado em 09/01/2017 02:33

Divulgação
 


Num misto de barbadas e grandes surpresas, o Globo de Ouro consagrou o musical La la land: Cantando estações, que venceu as sete estatuetas às quais concorria, e trouxe surpresas, na reta final da festa, encerrada às duas horas da manhã. Moonlight — Sob a luz do luar foi considerado o melhor filme de drama, tratando da criação tortuosa de um jovem discriminado e sujeito à violência, em Miami. Surpresa forte foi a premiação da francesa Isabelle Huppert, melhor atriz por Elle. "Não espere que o cinema tenha fronteiras" foi o que ela, visivelmente emocionada, fez ecoar no palco. Sem muito entusiasmo no discurso, Casey Affleck foi considerado melhor ator, por Manchester à beira-mar, que retrata um homem com quê depressivo. "Denzel (Washington) disse, neste palco, que Deus é amor — Eu concordo", observou, recém-premiado.  
 
 
Robyn Beck/AFP


Meryl Streep politiza a noite


A empatia, como atriz, vivendo vidas alheias, foi dos elementos valorizados por Meryl Streep no discurso de agradecimento pelo prêmio honorário Cecil B. DeMille. Elogiado por Chris Pine, no palco, o discurso de Streep destacou a necessidade de estrangeiros na formulação de Hollywood, criticou base da cultura americana (devota de "artes marciais e futebol") e lembrou um episódio de alcance global em torno de desrespeito a um deficiente. "Desrespeito convida ao desrespeito, violência incita violência", disse a diva com 30 indicações ao Globo de Ouro, antes de sublinhar a importância da imprensa (particularmente a estrangeira) no mundo de hoje. "Precisamos proteger os jornalistas, pois vamos depender deles para nos defenderem, no futuro", disse.
 
A noite seguiu, dando relevância à renovação: Damien Chazelle foi dado como melhor diretor de longa-metragem, por La la land. Também com senso de renovação, o Globo de Ouro deu prêmio de melhor ator de série musical ou de comédia para Donald Glover (protagonista de Atlanta). "Fui criado em uma família em que a mágica era permitida", resumiu, lembrando do pai que lhe assegurou o "direito de ser quem quisesse". Ainda na linha lúdica, a atriz Emma Stone, premiada pelo musical La la land, no palco, ressaltou a originalidade do filme de Chazelle. "É um filme para sonhadores, que conta com esperança e criatividade", resumiu a atriz que derrotou Meryl Streep na categoria.

A premiação


Eternamente reconhecido pelo papel de Kick-Ass, o ator Aaron Taylor-Johnson, levou o prêmio de melhor coadjuvante, por Animais noturnos. No filme de Tom Ford, ele interpreta um serial killer, Ray Marcus, que rouba muitas cenas dos protagonistas Amy Adams e Jake Gyllenhaal. É um momento de virada na carreira.
 
Billy Bob Thorton, na sexta indicação ao prêmio, antes vencido por Fargo (a série), Billy Bob Thorton venceu como ator de série dramática, com Goliath. Na série, ele interpreta um advogado, aparentemente falido na vida, mas que dá a volta por cima, ao investir na investigação de um crime misterioso.
 
Estreante na disputa, a filha de Diana Ross, Tracee Ellis Ross venceu na categoria de melhor atriz de série cômica, por Black-ish. Com formação dramática na Suíça, ela fez questão de, no discurso de agradecimento, enaltecer "as mulheres de cor e as pessoas coloridas", nem sempre levadas em conta. Ela saudou a disposição de se apostar em "histórias que saem do modelo predominante da indústria do entretenimento".
 
Atlanta, que trata da cena do rap e mostra o nascimento de uma estrela do hip-hop foi valorizada como melhor série de tevê, na categoria musical ou comédia. Donald Glover, criador e protagonista, agradeceu aos negros "que permanecem vivos, em Atlanta". A série derrotou Black-ish, Veep e Transparent.
 
Alberto E. Rodriguez / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
 
 
A série The people vs. OJ Simpson: American crime story — que no palco foi definida como o registro da "transformação de uma tragédia em entretenimento, ao revelar que o sistema de justiça americano é cego" — foi tida como melhor minissérie. Da mesma produção, a atriz Sarah Paulson, na terceira indicação ao Globo de Ouro, faturou estatueta, aos 42 anos. Entre os trabalhos em cinema, Paulson pode ser lembrada por Virada no jogo, ácida crítica à política norte-americana, em 2012.
 
Destaque mais promissor da noite, La la land: cantando estações já começou a disparada rumo aos prêmios: o músico Justin Hurwitz faturou prêmios, pela trilha original da fita e ainda pela canção City of stars.
 
Vencedor duas vezes pela série que o consagou, House, o ator inglês Hugh Laurie, em obra dirigida pela dinamarquesa Susanne Bier, faturou mais um prêmio — o de ator coadjuvante em minissérie ou filme televisivo, The night manager. Com seis episódios, a obra é baseada na literatura de John le Carré.
 
Alberto E. Rodriguez / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
 
 
Na quinta indicação ao Globo de Ouro; pelo filme Fences, Viola Davis venceu, como coadjuvante, pelo filme Cercas, num papel já interpretado na Broadway. O filme é dirigido por Denzel Washington, e na fita, ela faz a raivosa Rose, mulher do injustiçado protagonista.  

Ausente na festa, a melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme feito para a tevê foi Olivia Colman. Aos 42 anos, a inglesa venceu por The Night manager, no qual ela interpreta a ardilosa Angela Burr. Colman derrotou duas das atrizes da série This is is, Chrissy Metz e Mandy Moore.
 
Sem confusão, desta vez, como esclareceu no palco, o melhor ator em filme musical e comédia foi Gosling; Ryan Gosling — no palco, ele confessou sempre ser confundido com o concorrente, na categoria — Ryan Reinolds (de Deadpool). Por La la land, ele foi vitorioso, no papel de um pianista. Na categoria de melhor roteiro, o diretor de La la land, Damien Chazelle venceu, pelo melhor roteiro. Ele sempre é lembrado pelo êxito de Whiplash.
 
Uma enorme demonstração de devoção pela atriz símbolo da França, Isabelle Huppert, partiu do diretor holondês Paul Verhoeven, que conquistou, com Elle, o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro. Ele fez questão de celebrar a "mente aberta" da associação dos jornalistas responsáveis pelo prêmio, capazes de defenderem uma fita polêmica em torno da violência contra a mulher. "Eu te amo, eu te amo, eu te amo", repetiu Verhoeven para a musa francesa.
 
Com discurso algo político e elegante, referendando a situação caótica do Sudão do Sul, o ator londrino Tom Hiddlestone (o Loki, de Thor) levou o prêmio de interpretação em minissérie ou filme feito para a tevê, por The night manager. O filme trata de um espião infiltrado no circuito do tráfico de drogas.
 
Alberto E. Rodriguez / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
 
 
Indicada a três prêmios, a série The crown faturou dois Globo de Ouro: melhor série de tevê na categoria drama e melhor atriz, reservado a Claire Foy, que vive, na trama, a rainha Elizabeth II, na juventude. Aos 32 anos, a atriz inglesa, pela primeira vez lembrada pelos votantes, no palco, deu recado: "A rainha está no centro do mundo, há 64 anos — o mundo pode ter outras mulheres assim". 

 
Os premiados da noite


CINEMA

Ator coadjuvante

Mahershala Ali (Moonlight)
Jeff Bridges (A qualquer custo)
Simon Helberg (Florence: Quem é essa mulher?)
Dev Patel (Lion)
Aaron Taylor-Johnson (Animais noturnos)
 

Trilha original

Moonlight
La La Land - Cantando estações
A chegada
Lion
Estrelas além do tempo
 

Canção Original

Can't stop this feeling (Trolls)
City of stars (La La Land - Cantando estações)
Faith (Sing)
Gold (Gold)
How far I'll go (Moana) 
 

Atriz coadjuvante

Viola Davis (Fences)
Naomie Harris (Moonlight)
Nicole Kidman (Lion)
Octavia Spencer (Hidden figures)
Michelle Williams (Manchester) 
 

Ator - comédia e musical

Colin Farrell (O lagosta)
Ryan Gosling (La La Land - Cantando estações)
Hugh Grant (Florence: Quem é essa mulher?)
Jonah Hill (Cães de guerra)
Ryan Reynolds (Deadpool) 
 

Roteiro

La La Land - Cantando estações
Animais noturnos
Moonlight
Manchester à beira-mar
A qualquer custo 
 

Animação

Kubo e as cordas mágicas
Moana
My Life as a Zucchini
Sing
Zootopia  
 

Filme estrangeiro

Divines
Elle
Neruda
O apartamento
Toni Erdmann 
 

Diretor

Damien Chazelle (La La Land - Cantando estações)
Tom Ford (Animais noturnos)
Mel Gibson (Até o último homem)
Barry Jenkins (Moonlight)
Kenneth Lonergan (Manchester à beira-mar) 
 

Atriz - comédia ou musical

Annette Bening (20th Century women)
Lily Collins (Rules don't apply)
Hailee Steinfeld (The edge of seventeen)
Emma Stone (La La Land - Cantando estações)
Meryl Streep (Florence: Quem é essa mulher?)
 

Filme - comédia ou musical

20th Century women
Deadpool
Florence: Quem é essa mulher
La La Land - Cantando estações
Sing street
      

Ator - drama

Casey Affleck (Manchester à beira-mar)
Joel Edgerton (Loving)
Andrew Garfield (Até o último homem)
Viggo Mortensen (Capitão Fantástico)
Denzel Washington (Fences) 
 

Atriz - drama

Amy Adams (A chegada)
Jessica Chastain (Miss Sloane)
Isabelle Huppert (Elle)
Ruth Negga (Loving)
Natalie Portman (Jackie)
 

Filme - drama

Até o último homem
A qualquer custo
Lion
Manchester à beira-mar
Moonlight
  

TELEVISÃO

 

Ator em série dramática 

Rami Malek (Mr. Robot)
Bob Odenkirk (Better call Saul)
Matthew Reese (The Americans)
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Billy Bob Thornton (Goliath)
 

Atriz em série de comédia ou musical

Rachel Bloom (Crazy ex-girlfriend)
Julia Louis Dreyfus (Veep)
Sarah Jessica Parker (Divorce)
Issa Rae (Insecure)
Gina Rodriguez (Jane the virgin)
Tracee Ellis Ross (Blackish)  


Série de comédia ou musical 

Atlanta
Blackish
Mozart in the jungle
Transparent
Veep
  

Atriz em minissérie ou filme feito para TV 

Felicity Huffman – American Crime
Riley Keough – The Girlfriend Experience
Sarah Paulson – The People v O.J. Simpson: American Crime Story
Charlotte Rampling – London Spy
Kerry Washington - Confirmation 
 

Minissérie ou filme feito para a TV 

American crime
The dresser
The night manager
The night of
The People v O.J. Simpson: American Crime Story
 

Ator coadjuvante de TV

Sterling K. Brown (The People v O.J. Simpson: American Crime Story)
Hugh Laurie (The night manager)
John Lithgow (The crown)
Christian Slater (Mr. Robot)
John Travolta (The People v O.J. Simpson: American Crime Story)  
 

Atriz coadjuvante de TV

Olivia Colman (The night manager)
Lena Headey (Game of thrones)
Chrissy Metz (This is us)
Mandy Moore (This is us)
Thandie Newton (Westworld) 
 

Ator em minissérie ou filme feito para a TV 

Riz Ahmed (The night of)
Bryan Cranston (All the way)
Tom Hiddleston (The night manager)
John Turturro (The night of)
Courtney B. Vance (The People v O.J. Simpson: American Crime Story) 

Atriz em série dramática 

Claire Foy (The crown)
Keri Russell (The Americans)
Winona Ryder (Stranger things)
Evan Rachel Wood (Westworld)
Caitriona Balfe (Outlander)

Série de drama 

Stranger things
The crown
Game of thrones
Westworld
This is us  

Ator em comédia ou Musical 

Anthony Anderson (Blackish)
Gael García (Mozart in the jungle)
Donald Glover (Atlanta)
Jeffrey Tambor (Transparent)
Nick Nolte (Graves)

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade