Confira o que não pode faltar no kit do folião para esse carnaval

Veja ainda a programação deste fim de semana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/02/2017 07:30 / atualizado em 18/02/2017 11:06

 

 

Que o brasiliense ocupou o quadrado do Distrito Federal com os blocos de rua não é nenhuma novidade. O carnaval agora é coisa nossa. Tomou entrequadras, parques, ruas e estacionamentos. De hoje até a Quarta-Feira de Cinzas, em 1º de março, vai rolar muita festa ao ar livre, com fantasias, isoporzinhos e tudo que o ziriguidum pede. Tendo o kit do folião informal em mãos, vale se precaver de alguns infortúnios. Por isso, não esqueça o kit folião!

Este ano, São Pedro não colaborou tanto quanto se gostaria. O tempo fechou de vez. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para hoje é de um dia nublado. Haverá pancadas de chuva e trovoadas isoladas. A temperatura mínima fica em torno de 17ºC, e máxima, 26ºC. A situação não deve ser tão diferente amanhã. Nada que impeça a farra pré-carnavalesca. No último fim de semana, mesmo debaixo de um temporal, cerca de 40 mil pessoas foram ao Suvaco da Asa, na altura da Funarte. “A gente sempre precisa da ajuda de São Pedro. No ano passado, foi o maior sucesso. Estamos esperando 10 mil pessoas”, diz Fábio Aires, um dos organizadores do Bloco Galo Cego, que sai às ruas do Setor Bancário Sul hoje, a partir das 13h.

Depois de arrastar cerca de 15 mil foliões no ano passado, o bloco Encosta que cresce se concentra amanhã no Estacionamento do Ginásio Nilson Nelson. Edil Argolo, um dos organizadores, reforça o manual.

“As recomendações gerais é que usem roupa leve e um calçado confortável. É bom chegar sempre mais cedo nos locais onde serão os eventos. Sou do Rio e lá nós temos esse costume. O que recomendamos é que cada um entenda seu limite, principalmente na bebida”, afirma. Anotado?


O look do dia
A criatividade é posta à prova. As fantasias bacanérrimas são as produzidas no esquema “faça você mesmo”. Se não tem grana, a graça é usar o que se tem em casa para improvisar símbolos da folia a personagens do momento: de palhaços a Trump. Até mesmo aquele velho baby doll da mamãe tem vez no carnaval à brasiliense. Se for usar adereço de cabeça, certifique-se de escolher um que fique bem preso e não muito grande, para que não se enganche em ninguém. A não ser que você queira...


O boné
Alô, pouca telha! O boné, salvaguarda de todos os dias, também aparece como um dos acessórios mais usados na folia. Além de proteger a pele da exposição solar, ele também age em dias inversos, quando a chuva de verão dá as caras e tenta “miar” o rolê. Mesmo assim, não deixe de levar o velho combo: protetor solar e guarda-chuva. Com o clima instável de Brasília, prevenção é a melhor saída.


O it-acessório
Relegado ao esquecimento por ter virado um ícone brega pós-anos 1980, a pochete voltou com tudo no verão e combina com a folia. Cabe as chaves e o celular —  indispensável na hora de chamar aquele famoso aplicativo de carona, ou então ligar para o táxi — e dar um like na postagem nas redes sociais. Também não se esqueça dos remédios anti-ressaca, analgésicos, garrafinha de água, camisinha, batom, brilho, desodorante. Nada de carteira grande.


O discurso
Se o paquera te deu “match”, vá com tudo. Se ouviu um não, é não. E ponto! Em 2017, o assédio não têm vez na folia do quadradinho do DF. Movimentos como o BSB Respeita as Minas reforçam a campanha: vamos fazer do ziriguidum tempo de #CarnavalSemAssédio.


O isoporzinho
É fim de mês, e o salário vai demorar para dar as caras. Por isso, a dica é sair de casa com cooler e/ou isopor abastecido do que mais lhe apetece. Só não vale jogar lixo na rua, hein! Bola da vez, a catuaba rende drinques ótimos (experimente colocar frutas e gelo), além de ser ótima pura. Economia que dá gosto. Mas não se esqueça da cervejinha.


Nos pés

Nada de salto 15cm. A regra é clara: carnaval pede o conforto de um sapato baixo. Tênis, rasteiras, sapatilhas & afins são os calçados ideais para ir da Asa Sul a Norte sem sofrer com calos e esporão.



Programe-se

Hoje

Samba do Peleja

O ano de 2017 marca dos 10 anos do encontro, uma grande roda entre amigos. Para quem curte levada lúdicas de sambas variados e grande repertório, é a pedida ideal. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: das 14h às 2h. Local: Praça dos Prazeres, na 201 Norte

Galo Cego
Outro bloco que nasceu em casa (mais precisamente o lar de percussionista Bruno Dourado, filho do Seu Amaro) e tomou as ruas do DF, tem como ponto forte a arte da percussão da banda Galo Cego. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: A partir das 13h.  Local: Setor Bancário Sul

Tuthankasmona
O foco, aqui, é o respeito e visibilidade à população LGBTQ. Diversidade é lei no bloco que estreou no ano passado com o número de cinco mil foliões. E melhor: nenhum caso de assédio às mulheres, gays, travestis, transgêneros e transexuais. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: a partir das 16h. Local: Setor Bancário Norte

Bom para todos
Iniciativa que merece aplausos, o bloco é adaptado para autistas e “todas as outras pessoas que sentem diferente”, conforme adiantam na divulgação do evento. Vai ter banda de marchinhas e na parte de comidinhas, itens sem glúten e sem leite. Por um carnaval mais acessível! Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: Das 14h às 18h. Local: Parque Vivencial II do Lago Norte

Desodorante da Asa
Nesta edição, o Desodorante da Asa vem com orquestra de frevo e apresentações da Banda Visão, Batala, Grupo Pellinsky e Vibra Samba. Tem também bateria de escola de samba. Prepara! Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: Das 9h às 12h bloco infantil; e das 12h às 21h, adultos. Local: Quadra 10 do Cruzeiro Velho

Fio desencapado
No segundo desfile, o bloco continua com o foco nos sambas-enredos. Confirmadas, são a Bateria Furiosa do DF, sob a regência do Mestre Fio de Castro, e outras atrações. Para ambientar ainda mais o evento, haverá ala de passistas e porta-estandartes. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: concentração às 16h; descida do Eixo Monumental a partir das 19h30. Local: Setor de Oficinas do Sudoeste, na esquina com o Eixo Monumental

Amanhã

Encosta que cresce

No terceiro ano, prosseguem com frevo pernambucano, axé, marchinhas típicas do período e sambas-enredos. A diversidade do carnaval brasileiro é o elo dos foliões do bloco irreverente e democrático. Flor do Cerrado, Orquestra de Metais e Gisele Guedes são algumas das atrações confirmadas. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: das 15h às 22h. Local: Estacionamento do Ginásio Nilson Nelson

Cafuçu do cerrado
Na quinta edição, o bloco pré-carnavalesco se mantém firme às raízes paraibanas e pernambucanas, de onde vieram os produtores. Pode esperar as já tradicionais orquestras de frevo, marchinhas de carnaval e o brega, ícone da sofrência desde a década de 1970. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: das 15h à 0h. Local: Setor Bancário Norte

Bloco da cabeça do pimpolho
Boa parte do repertório se dedica a clássicos do axé e pagode dos anos 1990. De Katinguelê ao Molejo, de Art Popular ao Araketu. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: das 14h às 21h. Local: Estacionamento em frente a Escola Canarinho, na 408 Norte

Falta pouco
Adoraroda, Candanguero, Carnavália, Sambassim, Ensaio Geral e Filhos de Dona Maria são algumas das bandas que “emprestam” seus músicos para o bloco que sai desde 2011. Mais uma vez, o repertório é extenso para agradar todo tipo de folião, de quem curte samba aos apaixonados por maracatu. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: das 14h às 2h. Local: Praça dos Prazeres da 201 Norte

Bloquinho do Bom
Um pouco mais refinado, o Bloquinho do Bom, do restaurante Oliver, tem como convidado o sambista Neguinho da Beija-Flor, Adriana Samartini, Thales Jr. e Carnavália. Serão quase 12 horas de folia e cardápio com comida à vontade. Bebidas são cobradas à parte. Os ingressos, até o momento, estão por R$ 120, feminino, e R$ 140, masculino. Só para maiores de 18 anos! Horário: a partir do meio-dia. Local: Oliver, no Clube de Golfe de Brasília

Esquenta Bloco dos Raparigueiros
Um dos mais tradicionais blocos de rua do DF antecipa os festejos de 25 anos de fundação e faz um “esquenta” esse fim de semana. Os grupos Papel Marchê, Banda Podre do Pacotão e PataKundum garantem a diversão. Os 100 primeiros a chegarem ganham o abadá. Os ingressos saem por R$ 30, masculino, e R$ 20, feminino. Horário: às 16h. Local: Roda do Chopp (SIBS 1, AE 4, Núcleo Bandeirante; 3386-4461)

Bloquinho da 116 Norte
DJs Paranaue, Tarcisio Boquady, Nada, Tamara Maravilha, Che Burato e Elefunk garantem a trilha do bloquinho. Entrada franca e classificação indicativa livre. Horário: a partir das 16h. Local: 116 Norte.

 

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.