A história de John Lennon e o drama de um pai são temas de HQs

Uma biografia fictícia do Beatle e a trajetória de um homem que tem uma filha com Síndrome de Down são lançamentos em quadrinhos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/03/2017 07:15 / atualizado em 05/03/2017 23:06

Nemo/Divulgação
 

Como seria uma consulta de John Lennon com uma psicanalista? Sobre o que falaria o beatle se sentisse a necessidade de se abrir como nunca havia feito antes? São perguntas como essas que a HQ Lennon tenta responder. Baseado em um romance homônimo de David Foenkinos, a obra, em pré-venda pela editora Nemo e publicada originalmente na França, apresenta John da infância aos anos finais.

O livro de Foenkinos é uma biografia fictícia de Lennon, que usa a premissa da terapia para apresentar revelações e pensamentos íntimos do famoso personagem. A partir dessa base, os quadrinistas Eric Corbeyran e Horne transformaram o texto em quadrinhos.

Lennon faz um passeio por toda a trajetória do cantor. Nele, o músico reflete, depois de todo o sucesso, por que ainda se sente angustiado e quais as razões o levaram àquele ponto. A infância, o abandono, a família, a relação com amigos e casos amorosos encontram espaço na HQ.

A obra toda é narrada pelo ponto de vista do próprio Lennon. No período, segundo a HQ, o músico procurava apaziguamento e paz. Drogas, sexo, espiritualidade —  tudo isso são refúgios que Lennon tentou encontrar e que são mencionados no texto. Por fim, a terapia é a tentativa final de alcançar algum descanso, revela o Beatle em um trecho da HQ.

Inocência e malícia são também temas do quadrinho, que mostra como aqueles quatro jovens, ainda pouco preparados, conheceram um sucesso estrondoso e como foram, muitas vezes, manipulados e usados. Estão lá o começo dos Beatles, os primeiros encontros com Paul McCartney e tudo o que veio depois.

A HQ mostra também que é com Yoko Ono que o músico começa a se encontrar outra vez, principalmente com a chegada do filho dos dois, Sean, depois de uma série de abortos naturais.

O traço do quadrinista francês Horne foi escolhido para verter também para imagens o romance de Foenkinos. Depois do trabalho de adaptação feito por Eric Corbeyran, Horne deu vida, em preto e branco, às sessões de terapia de John e aos fatos lembrados por ele no enredo da história.

 

O drama de um pai


Outra HQ lançada no Brasil pela Nemo é Não era você que eu esperava, do francês Fabien Toulmé. Autobiográfico, o quadrinho conta como Fabien lidou com a chegada da filha Julia, diagnosticada com síndrome de Down.

 

Nemo/Divulgação


A violência do título, confessa Fabien, foi até menor do que pensou quando descobriu a condição da filha. Em entrevista à imprensa francesa, ele explicou o sentimento. “Eu diria mesmo que o que eu pensei à primeira vista quando a vi era muito mais violento do que isso. Foi mais na ordem do ‘Eu queria que você não estivesse aqui’. Felizmente, como eu digo, tudo isso desaparece com o tempo e Não era você que eu esperava virou hoje ‘Que alegria que você veio’”, comentou.

Apesar de a obra ser o relato da convivência com a filha nos primeiros momentos e de expor sentimentos íntimos do autor, Fabién nega que o livro tenha ajudado no processo de aceitação da doença. “O livro foi escrito bem depois do nascimento dela, muito tempo depois de eu chegar a um estado mais pacífico. Eu não só já tinha aceitado como eu amava Julia como qualquer pai ama a sua filha. A partir deste ponto de vista, o livro não teve nenhum papel no processo de aceitação”, argumenta.

Escrever o livro, para o francês, não foi nenhum tipo de expurgo ou maneira de superar e enfrentar a situação. A vontade era apenas de contar a história. “Foi principalmente o desejo de escrever uma história que parecia bonita e que poderia ser apreciada por pessoas que leram. Nada mais”, garante.

Nemo/Divulgação

Lennon
Foenkinos, Corbeyran, Horne. Nemo. 152 páginas. R$ 39,80.

Nemo/Divulgação

Não era você que eu esperava
Fabien Toulmé. Nemo. 256 páginas. R$ 59,80.


» Uma graphic novel brasiliense
O quadrinista Daniel Arcos embarcou na aventura de produzir a primeira graphic novel. Finion conta a história de um cientista que cria um plano ousado para salvar a Terra de um colapso. A ideia do protagonista é levar os humanos para outro planeta. Lá, no entanto, todos os problemas criados pelos terráqueos, motivados principalmente pela ganância, aparecem novamente. A obra busca patrocínio na plataforma de financiamento coletivo Catarse (http://catarse.me/finion).

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.