Primeira série nacional da Warner traz referências a séries, HQs e filme

A série "Manual para se defender de aliens, ninjas e zumbis" estreia neste domingo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/03/2017 10:54

Warner/Divulgação
 
 
Primeira série nacional da Warner, Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis estreia neste domingo (12/3) às 22h30 (e, às 23h, no canal oficial da emissora no YouTube), em clima de mistério. Nova York, 1920. O cientista Nikola Tesla aparece em meio a um experimento - e com uma chave enigmática - que permanecerá oculto por mais de 60 anos, até ser recuperado por outro cientista, Bartolomeu Boaventura, nos anos 1980. Corta para os dias de hoje. Aliens querem dominar o mundo e, infiltrados na humanidade, ocupam cargos de liderança. Para tanto, contam com um exército de ninjas mercenários e seres humanos transformados em zumbis. Para salvar a Terra do fim do mundo, surgem três jovens predestinados a tal feito, Sput, Wes e Tina, que, com a ajuda de um manual, vão conseguir se defender de aliens, ninjas e zumbis. 

Amigos unidos, Sput (Michel Joelsas) é o ‘crânio’ do trio, ligado em astrofísica. Wes (Thalles Cabral) é hacker e adora games de zumbis. Já Tina (Daphne Bozaski) sabe lutar kung fu e é a esquentadinha da turma. Eles se juntam à força do bem para combater os vilões da história, comandados por Garcia (Branco Mello, da banda Titãs), o líder dos aliens na Terra. A missão de treinar os três amigos cabe ao amalucado Juarez (André Abujamra), que usa um açougue de fachada. "A gente queria que os três principais representassem coração, razão e emoção. O Sput é a emoção, o Wes, o coração e a Tina, a razão", define o criador e diretor da série, André Moraes, em entrevista. 

Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis traz um caldeirão de referências, incluindo games (como o sangue que jorra na tela), HQs, ficção científica, séries, além de icônicos filmes narrados a partir do ponto de vista de amigos, como Conta Comigo (Stand By Me), Super 8, E.T. e Os Goonies. São todos eles parte do universo que André Moraes gosta e cultua. 
 
Warner/Divulgação
 
 
Esse misto de inspirações também compõe o figurino. Sput, por exemplo, veste camiseta com o emblema do super-homem e Tina, uma jaqueta amarela que remete a Kill Bill e Freddie Mercury. 

Já a trilha sonora, assinada por André Moraes e Vivian Aguiar, traz uma sonoridade impregnada de anos 1980. O uso de sintetizadores remete à trilha da série Stranger Things, da Netflix, outra que faz um mergulho em referências oitentistas. Moraes explica que, quando Stranger Things foi lançada, sua Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis já havia sido rodada e que, após assistir à série americana, decidiu manter a trilha que tinha feito para seu seriado. Assim, nesse caso em específico, não houve uma inspiração, mas, sim, uma mera coincidência de autores que beberam na mesma fonte de referências.

Impossível ainda não associar a caça aos zumbis na trama à série Walking Dead ou, indo mais além, ao cultuado filme A Noite dos Mortos-Vivos (1968), de George Romero. No primeiro episódio de Manual, Davi (André Bankoff), um matador de zumbis profissional, trabalha de terno e gravata numa empresa, mas mostra como localiza seus alvos preferenciais: no celular (talvez com a ajuda de um aplicativo?), como se caçasse Pokémons. 

Racional

A série é uma espécie de desdobramento do curta-metragem Manual Para se Defender de Alienígenas, Zumbis e Ninjas (2008), escrita por Moraes e Adriano Nascimento. O elenco contava com os amigos, como Rodrigo Santoro, Lúcio Mauro Filho, Jair Oliveira e Carlos Alberto Riccelli. "A gente estava louco para fazer um curta sobre esse universo e resolvemos unir essas três raças", lembra André Moraes. O curta rodou festivais e ganhou prêmios do público. "Essa série não é sobre aliens, zumbis e ninjas. É sobre amadurecimento", conceitua Moraes.

Racional, a Tina da atriz Daphne Bozaski, é que faz os dois amigos movidos pela emoção a fincarem os pés no chão. "A Tina é muito diferente de mim. Eu fiz balé e ela faz kung fu", compara a jovem atriz, de 24 anos, que ficou conhecida pelo papel de Lali Monstra, na série infantil Que Monstro te Mordeu?, da TV Cultura. Para viver Tina, Daphne precisou aflorar dentro dela esse lado mais "briguento". E lá foi ela assistir a Kill Bill 1 e 2, filmes do Bruce Lee e Jackie Chan, Matrix, Gotham. Ela, que começou a fazer teatro em Curitiba e se mudou aos 17 anos para São Paulo para investir na carreira, também está escalada para temporada de Malhação, como a tímida Benê. 
 
Warner/Divulgação
 
 
Além do trio jovem, a 1ª temporada de Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis, com 13 episódios, reúne nomes como Jandira Martini e participações especiais de José Celso Martinez, Rita Lee, entre outros.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.