SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ONU nomeia Kenia Maria como defensora dos Direitos das Mulheres Negras

Kenia se junta ao time nacional composto pelas atrizes Juliana Paes e Camila Pitanga

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/04/2017 16:52 / atualizado em 12/04/2017 16:53

TEDxSaoPauloSalon

 
Atriz, escritora, youtuber e, recentemente, Defensora dos Direitos das Mulheres Negras. Como diz a frase que dá nome ao canal de Kenia Maria, no YouTube, Tá bom pra voce?
 
Kenia Maria integra o grupo de mulheres em favor da igualdade de gênero no Brasil, composto por Juliana Paes, defensora para a Prevenção e a Eliminação da Violência contra as Mulheres, e Camila Pitanga, embaixadora nacional da ONU Mulheres.
 
Em seu primeiro pronunciamento após a nomeação, Kenia declarou: "Tenho fortes razões para acreditar que mudanças estão por vir e para mim é uma honra. Sinto uma enorme alegria e satisfação em saber que a ONU Mulheres,  tem em sua agenda o objetivo de mobilizar a sociedade para que a enorme demanda das mulheres negras seja ouvida". 

À frente do novo cargo, a atriz é responsável por apoiar a ONU Mulheres, a respeito do status da mulher negra na formulação de políticas, padrões e normas globais, assim como ajudar o estados a implementar estas normas. 

Quanto a carreira como defensora, Kenia declara: “A primeira questão que pretendo debater é a lei que torna obrigatório o ensino da história e cultura afrobrasileira e africana em todas as escolas. É importante ressaltar em sala de aula a cultura afrobrasileira como constituinte e formadora da sociedade brasileira, na qual os negros são considerados como sujeitos históricos, valorizando-se, portanto, o pensamento e as ideias de importantes intelectuais negros brasileiros, a cultura (música, culinária, dança) e as religiões de matrizes africanas”.
 
Sobre a nomeação, a atriz acredita que sua trajetória foi determinante: “Imagino que uma das razões para a escolha do meu nome para este cargo foi pela minha história e da minha família. Sou do subúrbio (Del Castilho) e venho de uma família de militantes. Meu nome é Kenia por causa do país africano e eu participo de projetos sociais desde os meus 13 anos, quando minha mãe me introduziu ao universo da luta no resgate da minha ancestralidade. Minha militância aumentou aos 18 anos, quando participei da fundação do AfroReggae, em Vigário Geral. Depois, não parei e montei minha produtora”.

Em 2016, Kenia participou do "TEDxSãoPaulo - Mulheres que inspiram”. Assista ao vídeo da apresentação:
 
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.