Imagens de Eric Clapton em cadeira de rodas voltam a repercutir

O músico sofre de neuropatia periférica, uma doença no sistema nervoso que afeta movimentos das mãos e e dos pés

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/04/2017 17:40 / atualizado em 15/04/2017 19:12

Imagens do guitarrista Eric Clapton, aos 72 anos, em uma cadeira de rodas voltaram a repercutir na internet. As fotos foram feitas em março em um aeroporto de Los Angeles e mostram o guitarrista, visivelmente debilitado, sendo levado pela mão para o balcão de embarque do voo.

 

A situação do músico, que sofre de neuropatia periférica (uma doenção no sistema nervoso que afeta os movimentos das mãos e dos pés), assustou os fãs. Muitos lamentaram nas redes sociais a situação do guitarrista, que é considerado um dos maiores do instrumento (ele era até chamado de Deus por fãs e críticos).

 

 

 

 

No ano passado, Clapton lançou o disco I still do. O título, que em tradução livre quer dizer eu ainda faço, é uma referência ao esforço do guitarrista para terminar as gravações. 

 

 

Depois do lançamento, Clapton teve que cancelar a turnê de divulgação do disco pela condição física. O músico prometeu voltar aos palcos em setembro deste ano. As imagens, no entanto, fizeram muita gente duvidar que Clapton realmente consiga voltar a fazer shows.

A dificuldade de Clapton

No ano passado, o músico revelou que sofria da doença, que não tem cura, em uma entrevista à revista Classic Rock. "Tive muita dor ao longo do último ano. Começou pequena na parte inferior das costas, e depois evoluiu para o que chamam de neuropatia periférica, que é quando você sente como se estivesse levando choques descendo para a perna", contou.

 

Ele falou também sobre a dificuldade de tocar guitarra e sobre a aceitação de que, provavelmente, não melhorará."Quer dizer, é um trabalho difícil às vezes, o lado físico disso – ficar velho, cara, é duro. É difícil tocar guitarra e tive de entrar em acordo com o fato de que não vou melhorar", disse.

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.