SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Muntchako é um dos finalistas do Samsung E-Festival Instrumental

O grupo formado em Brasília concorre ao prêmio com a música Emojubá

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/05/2017 14:37 / atualizado em 19/05/2017 14:37

Ferreira Maia

A banda brasiliense Muntchako é finalista da quarta edição do Samsung E-Festival Instrumental, que tem como objetivo revelar os novos talentos do gênero no Brasil. Foram inscrições de todo o país, que passaram por curadoria de Ruriá Duprat - vencedor de um Grammy na categoria de melhor álbum de jazz contemporâneo - até chegar a uma seleção de 10 participantes, que agora estão sujeitos a voto popular.

 

Juntos desde 2014, os integrantes do Muntchako - Samuel Mota (guitarra, banjo, programações e synths), Rodrigo Barata (bateria e samplers) e Macaxeira Acioli (percussão e samplers) - concorrem ao prêmio pela música Emojubá. “Brasília está conseguindo marcar presença nessa cena instrumental contemporânea, e muita coisa boa tem aparecido aqui. A gente está muito feliz em fazer parte disso”, destaca o percussionista.

 

 

 

O grupo toca diversos gêneros, como arrocha, guajira e coco. “A ideia era a gente só tocar coisas que remetessem à música africana, mas já no primeiro ensaio nos deslocamos para outro mundo e acabamos fazendo música sem fronteira. Nós mesclamos batidas e ritmos, unidas com música eletrônica”, conta Acioli.

 

A banda já participou de festivais como Psicodália (SC), Contato (SP), Circo Voador (RJ) e Tenho Mais Discos Que Amigos (DF). O primeiro álbum, Muntchako, será lançado em vinil e nas plataformas digitais, entre agosto e setembro deste ano. A produção e a capa são de Curumin e Chico, respectivamente.

 

Além do Muntchako, estão na final Sidmar Vieira (SP), Carol Panesi & Grupo (RJ), Oxent Groove (PB), Silibrina (SP), Grandense (RS), Palindrum (SP), Pé na Porta (SP), Fernando Molinari Trio (SP) e Ricardo Primata (BA). 

 

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.