Ativistas do grupo Femen fazem protestos e invadem show de Woody Allen

Duas ativistas invadiram o palco para denunciar supostas agressões sexuais que o cantor fez em sua filha adotiva

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2017 15:30 / atualizado em 13/07/2017 15:33

 LOIC VENANCE

As ativistas do grupo Femen invadiram o show de Woody Allen em Hamburgo, na Alemanha, e subiram no palco para protestarem contra o que chamam de "cultura do silêncio", relembrando as denúncias de abuso sexual que a filha adotiva dele Dylan Farrow fez em 2014.  

As duas mulheres subiram no palco 20 minutos após o início da apresentação e estavam com os seios de fora com várias frases escritas pelo corpo criticando o cantor. Elas ainda tentaram ler a carta de denúncia que Dylan Farrow publicou no jornal New York Times, porém foram contidas pelos seguranças e retiradas do palco.  

A carta contém os detalhes sobre os abusos sexuais que sofreu na época que tinha 7 anos e o trauma de conviver pelo resto da vida com as memórias das experiências que teve. No período da denúncia, um juiz de Nova York concluiu que as acusações de agressão sexual não eram conclusiva e arquivou o caso.

O grupo Femen publicou em sua página no Facebook uma nota comentado o protesto e criticando o cantor Woody Allen. 
 
Facebook/Divulgação


"Recordaram ao mundo e aos fãs de jazz que Allen não é apenas este encantador cineasta neurótico, músico e ator"
 

Confira o vídeo do protesto

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.