Voz potente de Chester Bennington impulsionou sucesso do Linkin Park

Vocalista da banda norte-americana Linkin Park, ídolo do rock dos anos 2000, é encontrado morto em casa, na Califórnia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/07/2017 08:15 / atualizado em 21/07/2017 08:28


O rock perdeu mais um de seus ídolos em 2017. Um dos principais nomes do gênero dos anos 2000, Chester Bennington morreu na manhã de ontem, aos 41 anos. O vocalista da banda Linkin Park, que conquistou o mundo pop na década passada, foi encontrado morto em sua casa, em Palos Verdes Estates, na Califórnia (EUA), por volta das 9h (horário local). Segundo o site de notícias TMZ, o cantor se enforcou. A publicação cita fontes policiais para confirmar a causa da morte.

Parceiro de banda, o guitarrista Mike Shinoda confirmou e lamentou a notícia. “Estou chocado e com o coração despedaçado, mas é verdade”, declarou. O tema do suicídio já havia aparecido em entrevistas do cantor. Chester revelou à imprensa que foi abusado, quando criança, por um homem mais velho e que havia pensado algumas vezes em se matar. Além disso, o vocalista enfrentava sérios problemas com álcool e drogas.

Linkin Park/Divulgação


Chester era muito próximo do cantor Chris Cornell, que também cometeu suicídio neste ano. Na época, o vocalista do Linkin Park escreveu uma carta para o amigo e cantor do Soundgarden. “Eu gosto de pensar que você estava dizendo adeus da sua maneira. Não consigo imaginar um mundo sem você. Eu rezo para você encontrar paz na sua próxima vida. Envio meu apoio para sua mulher e seus filhos, amigos e familiares”, escreveu. Cornell completaria 53 anos ontem. No funeral dele, Chester cantou Hallelujah, de Leonard Cohen.

Linkin Park

Bennington conquistou reconhecimento com o Linkin Park. A banda, formada em 1996, tinha anteriormente Mark Wakefield como um dos vocalistas. Com a saída do cantor, em 1999, o grupo recrutou outro nome para assumir a função. Nativo do Arizona, Chester foi indicado por Jeff Blue, então vice-presidente da gravadora Zomba Music.

Naquela época, o grupo ainda se chamava Xero. Com a entrada de Chester, a banda adotou inicialmente o nome Hybrid Theory (que foi o título do primeiro disco). Depois, o nome foi trocado para Linkin Park, uma homenagem ao Lincoln Park, local em Santa Mônica (Califórnia), onde os integrantes costumavam se encontrar.

Frederic j. Brown


O grupo decolou com a entrada de Chester. O vocal potente e a sonoridade pesada da banda se completaram. Já no primeiro disco, o Linkin Park fez sucesso. Hybryd theory, lançado em 2000, alcançou a segunda posição na Billboard 200 e recebeu disco de ouro depois de apenas cinco semanas.

A banda estourou mundialmente e emplacou sucessos como In the end e Numb. O sucesso rendeu apresentações em diversos países. Assim, o grupo conquistou milhares de fãs e tornou-se um dos principais nomes do rock nos anos 2000.

Em Brasília

O Linkin Park tocou na capital apenas uma vez, em 19 de outubro de 2014. Rodrigo Amaral foi um dos produtores locais do evento. Ele conta que pôde acompanhar nos bastidores a movimentação da banda e se diz atordoado com a morte do vocalista. “Ele era um cara muito tranquilo, muito ligado a questões ambientais. Foi um grande espanto e uma tristeza muito grande receber a notícia.”

Rodrigo conta que Chester atendeu fãs quando se apresentou em Brasília. “Ele tirou fotos, recebeu as pessoas. Não havia nada que pudesse indicar que algo assim aconteceria, muito pelo contrário”, lembra.

Pesar e espanto

Pelas redes sociais, músicos e artistas lamentaram a morte de Chester Bennington e ressaltaram a importância do cantor para o rock da última década. O vocalista do Whitesnake, David Coverdale, escreveu: “Meus sentimentos e preces são para a família, os amigos e os fãs de Chester Bennington. Descanse em paz, se foi muito jovem”.


O vocalista do Black Veil Brides também demonstrou espanto e pesar. “Completamente atordoado por saber da morte de Chester Bennington. “Meu coração está com a família e os amigos. Uma perda absolutamente trágica.”

Baixista do Mötley Crüe, Nikki Sixx revelou que havia conversado recentemente com o cantor. “Estou em prantos. Chester me contou há pouco o quanto era feliz. Ele era um homem muito doce e talentoso. Eu me sinto muito triste pela família, pelos companheiros de banda e pelos fãs”, declarou.

No Facebook, a página oficial do Rock in Rio publicou uma nota de pesar. A publicação ressalta a participação do cantor em cinco edições internacionais do evento e o engajamento dele em um projeto social da edição de Las Vegas, em 2015. “(Ele) marcou as últimas gerações e vai deixar muita saudade em milhares de fãs ao redor do mundo. Fica a nossa homenagem a esse grande artista. Obrigado por tudo, Chester!”, diz o comunicado.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.