Embalos dos jovens 'experientes': Confira opções de lazer para esse público

Conheça histórias de pessoas acima de 50 anos que adoram se divertir na capital. Confira também opções de lazer para esse público

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/07/2017 07:31 / atualizado em 21/07/2017 18:36

Arquivo Pessoal

 
A idade não é visto como impedimento para diversão e lazer. Com o aumento da expectativa e da qualidade de vida, a população acima dos 50 anos deixou de lado o rótulo de coroa como uma gíria passada. Esse segmento se mantém ativo socialmente, frequentando shows, bares, restaurantes e casas noturnas. O grande diferencial, no entanto, é que eles prezam por mais qualidade nos serviços culturais.

Ir para eventos badalados é, por exemplo, uma das opções de diversão da empresária Liduina Macedo de Brito, 62 anos. Recentemente, ela esteve no show dos cantores Leonardo e Eduardo Costa pelo projeto Cabaré, no Ginásio Nilson Nelson (Eixo Monumental), evento que, pensando no público mais maduro, que valoriza serviços exclusivos e conforto, montou uma área com mesas. “Gosto de ir a shows, principalmente de MPB, além de clássicos tanto nacionais quanto internacionais”, comenta.

Além disso, a empresária inclui nas alternativas sair com os amigos para dançar e almoçar em bons restaurantes. “Aqui em Brasília eu já não sei mais onde se dança, mas, sempre que tem uma festa, eu aproveito. O Na Praia (complexo cultural montado na Orla do Lago Paranoá) também é um evento que me agrada, gosto de passar no horário de almoço, conhecer a área e aproveitar as programações de dia”, explica. Entre as opções de bares e restaurantes, os preferidos de Liduina são locais como Liv Lounge (Vila Planalto) e o Bar Brasília, na Asa Sul.
 
Arquivo pessoal


Baladeiro desde jovem, independentemente do estado civil, o funcionário público Eduardo Barreto, 50 anos afirma que gosta de sair para bares e boates. Na cidade, seus locais preferidos são o Dudu Bar, no Shopping Deck (Lago Sul), e a casa noturna Bamboa, no Guará. “Lógico que não é mais a mesma coisa, quando eu era mais jovem saía mais. Mas ainda vou em bar, baladas e também a muitos restaurantes”, lembra.

Para o empresário Eduardo dos Anjos, 55 anos, o passar dos anos fez com que ele saísse ainda mais do que quando jovem. Natural do Rio de Janeiro, ele chegou a Brasília em 1972, quando a vida noturna da cidade não era tão agitada. “Naquela época, praticamente não tinha nada para fazer no meio da semana. Hoje, querendo sair, tem agito de segunda a segunda. É muito melhor”, define. Ele costuma ir com os amigos semanalmente a bares da cidade como o Abençoado, no Sudoeste, e o Versão Brasileira, na Asa Sul. Entre as festas preferidas do empresário carioca está o Balako.
 

Conforto e qualidade

A dona de casa Adriana Alves Coutinho, 50 anos, sempre gostou de sair para se divertir. Essa é uma característica que a moradora da Asa Norte tem desde a adolescência, e garante que não mudou. Mas, com o passar dos anos, foi se tornando mais exigente. “A diferença é que hoje eu me tornei mais seletiva. Só saio de casa se tiver serviços como manobrista, mesa, garçom, banheiro limpo... Desde a minha infância, adolescência e, mesmo agora com 50 anos, eu sou uma pessoa da rua. Gosto de saber o que está acontecendo, sair para conversar, conhecer gente. É isso que motiva ir cada vez para a rua”, afirma.

Arquivo Pessoal


Restaurantes, cafés e bares são o fraco de Adriana Coutinho. Mas a dona de casa, que é bastante animada, também acaba incluindo, de vez em quando, outras opções culturais em sua agenda. Na opinião dela, ser uma pessoa caseira ou não, não tem a ver com a idade. “O que faz as pessoas ficarem dentro de casa é mais o temperamento. Não tem nada a ver com a idade não. Se for alguém igual a mim, mais extrovertido, essa pessoa vai sair”, analisa.

A aposentada Roziclé Fernandes Lopes Nery, 54 anos, concorda. Ela adora ir ao cinema, sair para dançar, paquerar, viajar, passear em shopping e tomar uma cerveja com os amigos. “Gosto de ir a restaurantes e barzinhos agradáveis”, conta. Roziclé acredita que, de modo geral, há opções para o público da idade dela, no entanto, critica a falta de lugares para dançar em Brasília: “Sempre procuro um espaço legal que tenha dança, mas está difícil”.

*Estagiária sob supervisão de José Carlos Vieira


Festa, dança e show


Clube do Choro
(SDC, entre a Torre de TV e Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Com programação musical de terça a domingo. Mais informações: http://www.clubedochoro.com.br/. Não recomendado para menores de 14 anos.

Na Praia
Complexo Na Praia (SHNT, Tc. 1). Toda sexta, a partir 17h, com DJs, música ao vivo, restaurante flutuante, bar e vila gastronômica. Todo domingo, das 9h às 23h, Domingo na praia com atividades físicas, espaço praia e show do projeto Som na Praia, com Surf Sessions e Camafeu. Mais informações: www.tevejonapraia.com.br. Não recomendado para menores de 18 anos (sexta) e livre (domingo).

Noite dançante do Previ
Clube dos Previdenciários (712/912 Sul). Toda sexta-feira, às 21h, Noite dançante do Previ com presença de convidados. Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Não recomendado para menores de 18 anos.

Outro Calaf
(SBS, Qd. 2, Bl. Q). Toda terça, às 20h, tem roda de samba com o grupo Adora Roda. Todo sábado, Samba do Calaf com participação de bandas da cidade. Consulte os valores de cada dia. Não recomendado para menores de 18 anos.


Bares e restaurantes

Abençoado Bar
(CLSW 105, Bl. C, Lj. 82/6; Sudoeste). Funcionamento segunda a quarta, das 12h à 0h. De quinta a sábado, das 12h às 2h. Domingo, das 12h à 1h.

Bar Brasília
(506 Sul, Bl. A, Lj. 15). Funcionamento de segunda a sábado, das 11h30 à 0h. Domingo, das 11h30 às 16h.

Beer House
(QNM 1, Cj. A, Lt. 3/5, Lj. 1; Ceilândia Sul). Funcionamento de segunda a domingo, das 16h às 2h.

Bier Fass Choperia e Restaurante
Pontão do Lago Sul. Funcionamento de segunda a quinta, das 12h à 1h. Sexta e domingo, das 12h às 2h.

Feitiço Mineiro
(306 Norte, Bl. B, Ljs. 45/51). Funcionamento de segunda a sábado, das 12h às 2h. Domingo, das 12h às 17h.

Liv Lounge
Condomínio Life Resort (Vila Planalto). Funcionamento de terça a sábado, das 12h à 0h. Aos domingo, das 12h às 22h.

Brasília Capital Moto Week
Granja do Torto. Domingo (23/7), shows a partir das 19h, com Adriah, Distintos Filhos, Massay e outras atrações. Ingressos a R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada). Assinantes do Correio têm 50% de desconto. Para motociclistas e quem estiver na garupa, entrada franca.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.