Cena Contemporânea promove retorno de Maikon K para a capital

O artista foi detido durante uma performance na praça do Museu Nacional da República e participará de uma grande foto com nu artístico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/07/2017 09:00 / atualizado em 25/07/2017 10:26

VictorTakayama/Flagcxiv

 
“Se minha arte é bem-vinda, eu quero voltar”, afirmou o artista e performer paranaense Maikon Kempinski, após ter recebido pedidos de desculpas do governador Rodrigo Rollemberg e do Secretário de Cultura, Guilherme Reis, no dia 16 de julho deste ano. O desejo de Maikon, de retornar à capital para finalizar sua performance interrompida, será realizado. O Cena Contemporânea, um dos maiores festivais de teatro do país, trará o performer para se apresentar novamente ao público brasiliense com a obra DNA de DAN, além e participar de uma grande foto que reunirá artistas e convidados para uma performance com nudez artística. A Fotona, como tem sido chamada, está prevista para o dia 2 de setembro.
 
Enquanto isso, o artista torce para que a Polícia Militar, que agiu com violência durante o sua apresentação no festival  Palco Giratório, faça a segurança da apresentação. A performance foi criada pelo dançarino em 2013 e dura cerca de quatro horas. O performer passa uma substância sobre o corpo e permanece imóvel durante três horas. Após a secagem, Maikon espera que sua segunda pele seja rompida e inicia uma dança inspirada no arquétipo da serpente. A polêmica criada ao redor da apresentação, que levou o dançarino a ser detido por “ato obsceno”, é resultado de uma sociedade que trata o corpo nu como algo antinatural, sendo objeto de repulsa. É esse tipo de estereótipo que o artista pretende quebrar.
 
O Cena Contemporânea 2017 acontece de 22 de agosto a 3 de setembro e, em sua programação, fala de liberdade, tolerância e respeito às diferenças. Espetáculos de quatro países  - Espanha, França, Colômbia e África do Sul – se unem a montagens de diversos estados brasileiros e do próprio Distrito Federal para compor um quadro de nossa contemporaneidade. Em 2017, 22 espetáculos levam ao palco o tema da liberdade, seja ela racial, de gênero ou política.


Sobre DNA de Dan

 
Dan é a serpente ancestral africana, origem de todas as formas. DNA de DAN é uma dança-instalação de Maikon K, contemplada com o Prêmio Funarte Klauss Vianna. A performance acontece dentro de um ambiente inflável criado pelo artista Fernando Rosenbaum, proporcionando ao público uma experiência de imersão.
 
 

 
APRESENTAÇÕES


Fotona, com Kazuo Okubo e Maikon K
Dia 2 de setembro, a partir das 9h da manhã
Não recomendado para menores de 18 anos
Oficina aberta a voluntários com resultado prático em uma sessão fotográfica. Entrada franca
 
DNA de DAN, com Maikon K.
Dia 2 de setembro, a partir das 17h.
Interação com o público a partir das 20h.
Não recomendado para menores de 16 anos.
Entrada franca 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
francisco
francisco - 26 de Julho às 10:57
Se esse artista que faz essa apresentação nu ,tivesse tomado os cuidados para a apresentação em Brasília no dia,não teria ido para a DP