Fábio Porchat apresenta espetáculo na capital ao lado de Miá Mello

Ator e roteirista está de passagem por Brasília para apresentar o espetáculo 'Meu passado me condena - A peça'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/07/2017 07:31 / atualizado em 28/07/2017 18:51

CleibyTrevisan/Divulgacao

 
Uma das mais bem-sucedidas personalidades da cena artística nacional atualmente, o ator, humorista, roteirista e apresentador carioca Fábio Porchat guarda ainda alguns traços do jovem que, aos 19 anos, estudava administração na ESPM, em São Paulo. À época, já demonstrando vocação, interrompeu o curso para se dedicar ao teatro na Casa de Arte de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, onde viria a se formar em 2005.

Ainda morando na capital paulista, certa vez, ele foi com sua turma da universidade ao Programa do Jô. Chamado ao palco, bem desinibido, encenou um esquete em que, alternando as falas, reconstituiu diálogo entre Rui e Vani, personagens que eram vividos por Luis Fernando Guimarães e Fernanda Torres, da série televisiva Os Normais.

Com vontade de fazer as pessoas rirem, Fábio levou isso adiante. Hoje, costuma lotar teatros e espaços maiores, ao apresentar stand ups e peças, e salas de cinema que exibem seus filmes. Além de acumular incontáveis visualizações para os vídeos que protagoniza no canal Porta dos Fundos, na internet.
 

Há quase quatro anos em cartaz com Meu passado me condena — A peça (nome também de um filme e de uma série televisiva), na qual contracena com a atriz Miá Mello, Fábio volta a Brasília para encená-la no auditório master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, hoje, às 18h. O texto, assinado por Tati Bernardi — são dela também os roteiros da série e do filme homônimos —, tem como foco principal a discussão do relacionamento de um jovem casal, que chega em casa depois da festa de casamento.

Sobre Meu passado me condena, que tem direção da também atriz Inez Viana, Miá é enfática: “A minha parceria com Fábio é muito próspera. A gente gosta muito de trabalhar junto e acho que temos uma química perfeita”. Ela acrescenta: “Isso transparece na hora que as pessoas vão assistir. Acreditam que realmente somos um casal e acabam se identificando com os personagens”.

Silvana Marques/Divulgação

Meu passado me condena — A peça
Com Fábio Porchat e Miá Melo, domingo (30/7), às 18h, no auditório master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Ingressos: R$ (poltrona superior), R$ 80 (poltrona especial),  R$ 110 (poltrona vip lateral), R$ 120 (poltona vip) – valores referentes a meia entrada. Ponto de venda: G2 do Brasília Shopping. Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3034-6560

Ponto a ponto / Fábio Porchat

Essência
“Desde que, aos 18 anos, quando surgiu em mim a vontade de ser artista, encarei essa possibilidade e fui adiante. Fazer humor e levar as pessoas a dar risada é a essência do trabalho que, na fase adulta, me tornou conhecido.”

Formação
“Embora carioca, morava em São Paulo com a família e prestei vestibular para a faculdade de administração na ESPM, mas a abandonei no primeiro ano. Aí, fui para o Rio de Janeiro, fazer o curso de teatro na CAL (Casa de Arte de Laranjeiras), onde me formei em 2005.”

Infraturas
“Minha estreia como ator foi na peça Infraturas, com esquetes  autorais, em que, sob a direção de Mallu Valle, dividi o palco do teatro Cândido Mendes, em Ipanema, com Paulo Gustavo. À época, éramos dois desconhecidos do público.”

Comédia
“Em 2006, por indicação de Maurício Sherman, fui contratado para integrar o quadro de redatores do Zorra Total, do qual participava também como ator. Com o Cláudio Torres Gonzaga, outro redator do programa, escrevi Comédia em pé, que encenamos com outros comediantes, entre eles, Fernando Caruso. Ficamos em cartaz entre 2007 e 2011. Comédia em pé deu origem ao que viria a ser chamado de stand up comedy.”

Precursor
“Acho que fui um dos precursores do stand up comedy com Fora do normal, que, inicialmente, fez muito sucesso no Rio de Janeiro e, depois, em todo o país. Vim, inclusive a Brasília, com esse monólogo.”

Peça
“Meu passado me condena — A peça, fala de um tema sempre muito em voga. Miá (Miá Mello) e Fábio (Fábio Porchat) se conhecem na fila do banheiro de uma festa e um mês depois se casam. Ao chegarem em casa depois da festa e de casamento, começam a discutir a relação. O fato de não saberem nada sobre o passado um do outro começa a interferir na lua de mel. O texto divertido é de Tati Bernardi — autora também dos roteiros da série e do filme — e o espetáculo tem direção e Inez Viana. Ficamos em cartaz, com teatros lotados, em São Paulo e no Rio de Janeiro, entre 2015 e 2016. Agora, estamos em turnê pelo país.”

Produtora
“Porta dos fundos é uma junção de toda a experiência que acumulei como redator e ator de programas de tevê e comédias para teatro e que levei para a internet. Cada plataforma, obviamente, tem uma linguagem diferente. Sou um dos sócios da produtora, escrevo e atuo nos esquetes, que abordam assuntos diversos.”

Atentos
“Como temos que fazer postagens constantemente, eu e meus sócios estamos atentos a tudo o que ocorre em volta da gente o tempo todo, 24 horas por dia. A produção de esquetes é incessante, hoje maior até do o início, quando éramos novidade. Não livramos a cara de ninguém.”

Apresentador
“Já faço tevê há algum tempo, mas sempre quis ter um programa meu. Havia a possibilidade de fazer um talk show, mas aí veio o convite da Record para fazer algo com outro formato. Como apresentador, desde a estreia busquei focar no conteúdo, sem ficar preocupado com a questão do Ibope. O programa vai indo bem e tendo boa audiência.”

Política
“O momento que o país está vivendo é interessante, pelo menos sob um aspecto. Independentemente do posicionamento de cada um, as pessoas passaram a falar mais de política, a discutir política. Hoje em dia,  sabem-se os nomes do políticos e dos ministros do Supremo, como se sabem de jogadores de futebol.”

Brasília
“Vim a Brasília várias vezes e conheço bem a cidade. Fui aos pontos turísticos, restaurantes e tenho alguns amigos ligados ao teatro. Gosto muito de estar aí.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.