Abertura do Festival de Brasília será com o filme 'Não devore meu coração!'

O longa-metragem será exibido em 15 de setembro, na estreia da 50ª edição do Festival, no Cine Brasília. O filme é dirigido por Felipe Bragança e protagonizado por Cauã Reymond

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/08/2017 15:18 / atualizado em 23/08/2017 16:21

Crédito: Reprodução/Internet


O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega a 50ª edição neste ano. O evento será de 15 a 24 de setembro, durando 10 dias, seguindo as tendências de grandes festivais como Cannes, Locarno e até mesmo o Festival do Rio de Janeiro do Cinema Brasileiro. Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (23/8), a Secretaria de Cultura anunciou novidades sobre a edição, como os filmes que serão exibidos na abertura e no encerramento.



Na noite da abertura, o Festival homenageia um dos precursores do Cinema Novo e principal nome organizador da história da iniciativa, Nelson Pereira dos Santos, que tem no currículo filmes como Rio 40 graus (1955), Vidas secas (1963) e Memórias de cárcere (1984). A edição estreia com o longa Não devore meu coração!, de Felipe Bragança, que tem Cauã Reymond no elenco. Já o encerramento fica por conta do longa Abaixo a gravidade, de Edgard Navarro.





A 50ª edição do Festival promete refletir sobre questões sociais do país, além de promover um ambiente propenso ao avanço de materiais audiovisuais brasileiros. Assim como na edição passada, serão exibidos nove longas-metragens e 12 curtas. Os longas são de nove estados diferentes, enquanto os curtas são de oito. O diretor artístico do Festival, Eduardo Valente, explica que as obras selecionadas se relacionam ao abordar temas do cenário brasileiro. "Os filmes dialogam com questões sociais e políticas da história do Brasil, cada um com uma perspectiva e um recorte diferente", conta.

"A diversidade do cinema brasileiro está expressa nas nossas seleções oficiais e nas mostras paralelas", afirma o secretário de cultura do Distrito Federal, Guilherme Reis, que acredita no avanço das produções cinematográficas brasilienses e no desenrolar de um novo modelo de políticas públicas para o setor audiovisual, que, segundo ele, deve alcançar "um pensamento mais moderno".

Camila Beatriz/CB/D.A Press


As categorias do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro não concorrerão a prêmio em dinheiro, a não ser pelo cachê de seleção. Os vencedores receberão a estatueta do candango e concorrerão ao Prêmio Petrobras de Cinema, que visa aumentar a visibilidade dos filmes brasileiros e fará contrato de distribuição de R$ 200 mil para o melhor longa da Mostra competitiva e R$ 100 mil para o melhor longa da Mostra Brasília. Os vencedores serão escolhidos por júri popular. Um aplicativo exclusivo será lançado em 10 de setembro e será porta de entrada para a votação do público.

Mostra competitiva

Composta por produções de 10 diferentes estados, a Mostra Competitiva exibirá nove longas e 12 curtas, com cachê de seleção respectivamente de R$ 15 mil e R$ 5 mil. Participa da mostra o filme Era uma vez Brasília, de Adirley Queirós.

Mostra Brasília


A Câmara Legislativa realiza pela 22ª vez o Troféu Câmara Legislativa, com quatro longas e 13 curtas. Os longas são: Um domingo de 53 horas, de Cristiano Vieira; O fantástico patinho feio, de Denilson Félix; Jeitosinha, de Johil Carvalho; e Sérgio Lacerda, e Menina de barro, de Vinícius Machado.

Entre outros, participam da seleção de curtas as produções 1x1, de Renan Abreu; O céu dos teus olhos, de Danilo e Diego Borges; e A margem do universo, de Tiago Esmeraldo.

*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.