Pianista português Adriano Jordão se apresenta junto à Orquestra Sinfônica

Adriano Jordão faz uma participação especial no concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro nesta terça (29/8)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/08/2017 09:11 / atualizado em 29/08/2017 09:36

Arquivo Pessoal
 
Nas terças-feiras, como é habitual, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) se apresenta gratuitamente. Na noite de hoje, o maestro Cláudio Cohen e os músicos recebem um convidado especial, no Cine Brasília, às 19h45. Será Adriano Jordão, considerado o maior pianista contemporâneo português.

Jordão é velho conhecido da OSTNCS, apresentaram-se juntos algumas vezes. Ele está familiarizado com Brasília, onde morou quando foi conselheiro cultural da Embaixada de Portugal por oito anos. O maestro demonstra o carinho e a boa relação que mantém com o pianista: “É um grande amigo da orquestra e da cidade”.

Um concerto é o momento no qual os músicos interpretam composições e emocionam a plateia. Para tocar com o pianista, a orquestra decidiu-se pelo Concerto n° 3 em dó menor para piano e orquestra Opus 37, para lembrar os 190 anos da morte de Beethoven. Essa peça foi composta em homenagem ao príncipe da Prússia, em 1800, e é o primeiro concerto para esse instrumento do compositor alemão.

O pianista Adriano Jordão rodou o mundo. Nascido em Angola, em 1946, mudou-se para Portugal onde estudou. Depois, especializou-se nos Estados Unidos e em Paris. Tocou na América do Norte e do Sul, na Europa, África e Ásia. Fundou o Festival Internacional de Música de Macau (FIMM), em 1987, com o intuito de transformar a cena artística da região. Ainda, na primeira edição, ele levou a atriz Audrey Hepburn, mundialmente conhecida, o que ajudou a divulgar o festival.

As demais peças escolhidas para o concerto da noite de hoje “contribuem para a diversidade cultural e proporcionam mais conhecimento sobre o mundo da música erudita”, segundo o maestro Cláudio Cohen. A abertura será com a Sinfonia n° 8 do austríaco Franz Schubert, que o autor deixou inacabada. A composição deveria ser formada por três movimentos, Allegro moderato (si menor), Andante con moto (mi maior), que foram concluídos, e um Scherzo – um movimento mais longo –, do qual somente foram descobertas duas páginas. Ao final, a OSTNCS apresentará, do russo Nikolai Rimsky-Korsakov, Capricho Espanhol Opus 34, baseada em ritmos folclóricos da Espanha.

Serviço
Concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro
Apresentação com participação especial do pianista Adriano Jordão. Hoje, às 19h45, no Cine Brasília (106/107 Sul). Entrada Franca. Classificação indicativa livre.
 
*Estagiária sob a supervisão de Igor Silveira 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.