Grupo de humor G7 comemora 10 anos da peça Como passar em concurso público

Humoristas colhem os frutos de 16 anos de carreira no teatro e de uma década de uma as comédias mais conhecidas da cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Carlos Moura/CB/D.A Press
 
Um dos espetáculos de humor mais reconhecidos e assistidos da capital volta aos palcos para comemorar dez anos de sucesso na estrada. Com Como passar em concurso público, o grupo G7 alcançou sucesso profissional, expandiu os horizontes da carreira teatral e visitou diversas regiões do país.

O espetáculo teria mudado a vida de seus integrantes por seu grande alcance nacional, o que provocou um crescimento profissional no G7, que começou a enxergar o teatro de humor como forma diária de trabalho. Foi depois do sucesso de Como passar em concurso público que Benetti Mende, Felipe Gracindo, Frederico Braga e Rodolfo Cordón se viram totalmente envolvidos com a criação cênica e a vivência nos palcos.
 

A temática nacional do concurso público ajudou a impulsionar a quantidade de espectadores e, a partir de então, o grupo passou a se organizar melhor profissionalmente e artisticamente. “Começamos a ver o grupo de comédia não só como entretenimento, mas como trabalho, empresa. O espetáculo trouxe uma grande mudança profissional para a gente”, afirma Felipe.

O processo criativo dos espetáculos do grupo vem, principalmente, da observação cotidiana de cada um dos intérpretes-criadores. “Estamos, sempre então, muito ligados no que está acontecendo atualmente no mundo e buscamos temas que ainda não foram trabalhados no palco”, conta Felipe.
Os estudos continuaram depois da escolha inicial e, para essa peça, o grupo assistiu a aulas de cursinho, visitou salas de aula e entendeu a rotina dos concurseiros para transformar o cotidiano em situações e cenas de humor.


Como passar em concurso público
Teatro Maristão (615 Sul). Hoje, às 21h30 e amanhã, às 20h30. Os ingressos custam a partir de R$ 30 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 12 anos.
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.