Maurício Carrilho, Luciana Rabello e Aquiles Moraes se apresentam na cidade

O show está marcado para às 21h, pelo projeto Clube do Choro - 40 Anos, no Espaço Cultural do Choro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/10/2017 07:30 / atualizado em 12/10/2017 10:32

Soraia Nunes/Divulgação


Eles integraram o grupo Os Carioquinhas, foram da Camerata Carioca ao lado do lendário Radamés Gnattali, gravaram incontáveis discos, e acompanharam boa parte de astros e estrelas da MPB, nas últimas quatro décadas. Instrumentistas virtuosos, o violonista Maurício Carrilho e a bandolinista Luciana Rabello serão as atrações de hoje e amanhã, às 21h, no Espaço Cultural do Choro, em show pelo projeto Clube do Choro — 40 Anos.

Ligados à história centenária do gênero, eles utilizaram a visão contemporânea dessa linguagem como um dos pilares da Escola Portátil de Música, que criaram no Rio de Janeiro; e, posteriormente, na Casa do Choro, da qual são diretores. Pela primeira vez estarão juntos no palco do Clube do Choro, tendo a companhia de Aquiles Moraes, jovem e talentoso trompetista.

“Historicamente, o trio é a formação clássica do choro. Nesse show no Clube do Choro vamos inovar, substituindo a flauta pelo trompete”, explica Maurício Carrilho. “O Aquiles, de 26 anos, é um dos maiores trompetistas que já ouvi tocar. Ele tem brilhado ao participar de concertos de orquestras sinfônicas. Depois de ouvi-lo tocar, Wynton Marsalis o elogiou bastante”, acrescenta.

Originário de Cordeiro, cidade do interior do Rio de Janeiro, onde começou o estudo de trompete, Aquiles chegou à Escola Portátil com 11 anos de idade. Naquela instituição carioca aprimorou o conhecimento técnico do instrumento com Nailson Simões e da linguagem do choro com Álvaro Carrilho. Mais tarde, cursou bacharelato em trompete na UniRio.

Solista

No show, em que Aquiles é solista, um pouco da história do choro será levada ao público, por meio de composições de Carlos Calado (contemporâneo de Chiquinha Gonzaga), Pixinguinha, Radamés Gnattali, Paulinho da Viola e Cristovão Bastos. “O repertório, que vai ser diferente nas duas apresentações, terá também choros da Luciana e meus”, anuncia o violonista.

Maurício está feliz por voltar ao Clube do Choro de Brasília, onde se apresentava com alguma frequência em outros tempos. “Dei a minha parcela de contribuição para que o clube viesse a ter uma evolução e me traz alegria o fato de ter alcançado o patamar que ocupa atualmente. Em Brasília, conquistei muitos amigos e espero reencontrá-los agora. Ao lado da Luciana e do Aquiles, vou viver bons momentos nesse retorno”, afirma.

Um outro motivo de satisfação para o músico é o bom funcionamento da Casa do Choro, na Rua da Carioca (centro do Rio), com capacidade para 110 pessoas, inaugurada há dois anos. “Abrimos nosso palco para chorões e outros instrumentistas às quartas e quintas-feiras, sempre com boa frequência de público. Por lá, passaram artistas consagrados, não necessariamente ligados ao choro, como Dori Caymmi, Francis e Olívia Hime, Paulo César Pinheiro, Áurea Martins, Alaíde Costa e João Cavalcanti (Casuarina)”, destaca.


Maurício Carrilho, Luciana Rabello e Aquiles Moraes
Show hoje e amanhã, às 21h, pelo projeto Clube do Choro — 40 Anos, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulyssses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.
 
 
 
 
 
 




Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.