Stephen King invade as prateleiras com relançamento de obras clássicas

Até agora, três obras estão nas prateleiras: O iluminado, Cujo e A hora do lobisomem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Divulgação/Suma de Letras


Os fãs de Stephen King têm muito a comemorar no ano de 2017. Com uma série de adaptações para o cinema e para as telinhas, o nome de King não saiu dos holofotes nos últimos tempos. Quem acompanhou todas as últimas novidades do escritor, agora pode se deleitar com obras antigas que chegam de novo ao mercado.  

Com a coleção Biblioteca Stephen King, o selo Suma de Letras (braço da Companhia das Letras) vai relançar os principais clássicos do autor no Brasil, em edições especiais com projeto gráfico caprichado (com capa dura) e conteúdos adicionais.

Até agora, três obras estão nas prateleiras: O iluminado, Cujo e A hora do lobisomem. O próximo item da coleção chega ao mercado no ano que vem. A obra já está definida. Será uma reedição do romance A incendiária, de 1980.

Para os aficionados pela literatura de King, o material publicado na coleção é valioso. Há, em todas obras, adendos com conteúdos inéditos no Brasil, que vão desde entrevistas e ilustrações a trechos dos livros que acabaram ficando de fora das versões finais.

Um dos casos mais interessantes é de O iluminado. O livro, que se transformou também em um clássico do cinema, foi lançado em 1977 e continha originalmente um prólogo e um epílogo. Denominados Antes do ato e Depois do ato, os dois trechos foram limados na versão final do romance.

O prólogo acabou sendo publicado depois em uma revista. O epílogo estava perdido, até que um colecionador revelou um manuscrito em que o texto estava presente. A nova edição brasileira, com 520 páginas, traz os dois textos.

Em O iluminado, King conta a história de Jack Torrance, um escritor em crise que é contratado para ser zelador de um hotel durante o inverno. Alcoólatra, Torrance acha que o emprego será a oportunidade ideal para se reaproximar da família e voltar a se dedicar à escrita.

O problema é que o hotel é bem mais tenebroso que parece e espíritos tentam se apoderar do filho de Jack, Danny. O garotinho tem poderes sobrenaturais. Ao encontrarem dificuldades para possuírem o menino, os espíritos se aproveitam das fraquezas do pai. O livro se tornou um dos maiores clássicos do terror.

Já em Cujo, o complemento é uma entrevista do autor à The Paris Review. O livro, lançado em 1981, mostra um cão São Bernardo de 90kg que aterroriza uma família. Entre todos, há a suspeita de que o animal foi possuído pelo espírito de um serial killer da região.

Outra obra lançada pela Biblioteca Stephen King, A hora do lobisomem traz como bônus as ilustrações originais da obra, assinadas por Bernie Wrightson. Além disso, os artistas Giovanna Cianelli, Rafael Albuquerque, Rebeca Prado e Lucas Pelegrineti fazem versões dos desenhos.

No enredo, King usa uma clássica história de lobisomem. A criatura aterroriza uma cidade em todas as noites de lua cheia. O original foi lançado em 1983. Só um garoto paralítico sabe qual a identidade do monstro e conta apenas com a ajuda dos amigos para combatê-lo. (AP)




Cujo
Stephen King. Suma de Letras. 520 páginas. R$ 64,90.



O iluminado
Stephen King. Suma de Letras. 376 páginas. R$ 54,90.



A hora do lobisomem
Stephen King. Suma de Letras. 152 páginas. R$ 44,90.
 
 
 
 
 
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.