Escritora Nilva Souza lança 'Nus do invisível' nesta quinta-feira

Conhecida dos saraus e feiras brasilienses, a goiana Nilva lança o primeiro livro de poesias da carreira: 'Nus do invisível'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2017 18:21 / atualizado em 08/11/2017 18:25

Internet/Reprodução
Inspirada em autoras como Cecília Meireles e Cora Coralina, a escritora Nilva Souza lança, nesta quinta-feira (9/11), o livro Nus do invisível. Segundo a poetisa, o título da obra se refere a alma e aos indivíduos. Como temática, prevalecem os sentimentos e aflições da alma. “Fiz esse livro para levar para as pessoas o que falta no mundo: o amor. Minha poesia é sobre amar quem está ao nosso redor”, sinaliza Nilva.
 
Resultado de três anos de composição, a obra surgiu de um desafio. “A Marina Mara falou que o mundo precisava conhecer minha poesia e me encorajou a publicar um livro - o que está escrito sou eu”, explica Nilva. Marina foi responsável pela produção e, no prefácio, escreveu: “No livro Nus do invisível é possível sentir a essência da poeta que também escreve sobre episódios de sua infância, sua ancestralidade goiana, sua luta lúdica no cerrado e anseios de mulher.”

Nilva ainda critica o atual momento do mundo em que as relações interpessoais são facilmente esquecidas e quebradas. “Faltam amor e cuidado pela vida do outro, baseado nisso que escrevo. O amor está ao redor”, comenta. 

Sobre projetos futuros, a escritora revela que um livro de poesias sobre o Cerrado está em execução. Além disso, Nilva se dedica ao projeto Brasília florida de poesia, que consiste em deixar poemas pendurados pelas árvores da capital. “A poesia de rua acalenta as pessoas que andam sob a correria do dia e às vezes precisam ler aquilo que escrevo. Acredito que a poesia é capaz de mudar quem a lê”, afirma Nilva.

Serviço 
Lançamento do livro Nus do invisível
Sebinho (406 Norte). Quinta-feira (9/11), às 19h. Entrada franca. Classificação indicativa livre. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.