Internautas compram ingresso para fã negro expulso de show do Coldplay

Rapaz, identificado apenas como Gabriel, foi retirado da apresentação da banda em São Paulo e agredido, de acordo com relato nas redes sociais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2017 10:41 / atualizado em 13/11/2017 16:10

O fã que foi retirado do show de Coldplay em São Paulo na última terça-feira (7), em um caso caracterizado como racismo, ganhou a possibilidade de rever a banda inglesa na apresentação de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no último sábado. De acordo com relato publicado pela advogada Helena Vasconcellos - a mesma pessoa que denunciou a situação em um post que viralizou - no Facebook, algumas pessoas se mobilizaram para ajudar o rapaz, identificado como Gabriel. Ele recebeu passagens aéreas, ingressos e hospedagem para prestigiar o grupo de Chris Martin na capital gaúcha. 

"Ao longo do dia, pessoas lindas entraram em ação pra corrigir a injustiça e garantir que o meu amado amigo assistisse ao show que lhe foi tolhido", comemorou ela. "O bem vence o mal e tem muito mais gente boa no mundo do que gente má e truculenta! Amanhã só escorrerão lágrimas de felicidade dos nossos rostos! Porto Alegre espera Gabriel de portas abertas, coração largo e sorriso no rosto! E a semana triste e doída termina feliz! Estou transbordando! Gratidão a toda a corrente do bem, a todos que proferiram palavras de apoio e torceram por nós! E pra quem duvidou da gente ou destilou ódio, desejo luz pra vocês pois vocês precisam!", completou. 

No dia 8 de novembro, Helena fez um desabafo na rede social explicando que Gabriel estava no show, realizado no Allianz Parque, na capital paulista, quando duas mulheres afirmaram que ele estava na frente delas durante a apresentação e chamaram a polícia. As autoridades, então, retiraram o fã do local e o autuaram por desacato. "Gabriel apanhou, foi algemado, preso, e agora responde a Termo Circunstanciado na 1ª Delegacia de Atendimento ao Turista de São Paulo por desacato à autoridade. E vocês ainda acham que não existe racismo em 2017?", questionou a advogada. Segundo ela, um Boletim de Ocorrência foi registrado na Corregedoria da Polícia Civil para apurar a conduta dos policiais e eles estão aguardando a liberação das imagens do estádio para melhor averiguação. 

Confira o relato completo:

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.