Dillo D Araújo apresenta show Guitarrafrika no Clube do Choro

Acompanhado de trio, Dillo une sons de dois continentes na guitarra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2017 07:00 / atualizado em 13/11/2017 19:32

Diego Baravelli/Divulgação

 
O Clube do Choro recebe o cantor e compositor brasiliense Dillo D’araújo, nesta terça-feira (14/11), para apresentação do mais novo trabalho, Guitarrafrika. O projeto nasceu após um show em Londres, no qual o artista foi perguntado se era africano por conta do vocabulário usado na guitarra. "Achei isso curioso e fiz uma pesquisa sobre guitarristas da África. Mergulhei em diversas regiões desse continente e descobri muitas referências boas. Passei a compor algumas músicas instrumentais, nem pensava em fazer shows, mas fluiu", explica Dillo.

"O linguajar instrumental do disco permite total compreensão pelas pessoas que consomem esse material. Não há barreira da língua. Vou chegar a qualquer lugar e as pessoas vão entender o que eu quero dizer. Esse poder de universalismo da música se mostra mais forte com o instrumental", pontua. Além dos shows, o cantor ressalta que Guitarrafrika deve ganhar álbum em 2018.

Acompanhado do Robinho (bateria), Lucas Tufas (contrabaixo) e Samuel Mota (teclados), que também comanda o banjo, o quarteto tem como objetivo unir as vertentes afro-brasileiras. "O Guitarrafrika é a fusão entre a guitarra brasileira e as matrizes do afrobeat", define Dillo.

Referência

Admirador confesso de Tom Zé, com quem compartilhou o palco diversas vezes, Dillo admite ser bastante influenciado pelo músico. "Muito antes de conhecê-lo pessoalmente, já admirava o trabalho dele. A desconstrução e a provocação nas letras é uma característica forte. Ele transforma o cotidiano em música."

Em 2009, Dillo abriu pela primeira vez o show do tropicalista; desde lá, inúmeros encontros nos palcos e fora deles os aproximaram. "Existe uma certa associação. Nossas atmosferas são parecidas. Os produtores dos eventos reconhecem isso e prezam por nos colocar juntos", comenta Dillo.

Sobre o atual momento da música brasileira, Dillo se sente animado e esperançoso. "Eu fico contente em ver tanta música de qualidade. Nunca se produziu tanto conteúdo no mundo como agora." O cantor cita as bandas Muntchako e Engrenagem como destaques da cena local.

Guitarrafrika
Terça-feira (13/11), no Clube do Choro (Eixo monumental), às 21h. Entrada: R$ 15 (meia). Não recomendado para menores de 14 anos.
 
*Estagiário sob supervisão de Igor Silveira 


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.