Atrizes denunciam criador da série 'One three hill' de assédio

Outros membros da equipe assinaram a carta que denunciava Mark Schwann

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2017 14:50 / atualizado em 14/11/2017 14:54

Reprodução/Internet

As atrizes que fizeram parte do elenco da série americana One three hill denunciaram por assédio sexual o criador do programa Mark Schwann. Em carta aberta divulgada e assinada, tanto pelas artistas, quanto por membros da equipe, relata os casos mais comuns: tanto de assédio moral quanto sexual. 

 

Tudo começou quando a roterista do programa Audrey Wauchope postou nas redes sociais que Mark Schwann a tocava sem consentimento e uma vez chegou a pedir que outro colega a convencesse de namorá-lo. O seriado teve fim em 2012, mas foi só agora que as atrizes tiveram a coragem de expor os acontecimentos. 

 

A carta está assinado pelas atrizes principais do seriado, Sophie Bush, Bethany Joy Lenz e Hilarie Burton, e conta as experiências traumáticas que tiveram. Em uma parte chegam a relatar que todos sabiam dessas práticas recorrentes de Mark Schwann, mas não faziam nada por medo de perder os empregos. Além disso, disseram que as mulheres se uniam nos bastidores para criar um ambiente mais seguro.

 

Confira a carta na íntegra:

 

A quem possa interessar,

 

Todos os membros do elenco feminino da One tree hill escolheram este fórum para ficarem juntas em apoio de Audrey Wauchope e em apoio uma das outras. Para usar a terminologia que se tornou familiar como a realidade sistêmica do assédio sexual que veio mais e mais à luz, o comportamento de Mark Schwahn ao longo da filmagem de One tree hill era algo como um 'segredo aberto'. Muitas de nós, em graus variados, foram manipuladas psicologicamente e emocionalmente. Mais de uma de nós ainda está em tratamento para o estresse pós-traumático. Muitas de nós foram colocadas em posições desconfortáveis %u200B%u200Be tiveram que aprender rapidamente a lutar, às vezes fisicamente, porque ficou claro para nós que os supervisores na sala não eram os protetores que deveriam ser. Falaram com muitas de nós de maneiras que foram profundamente perturbadoras, traumatizantes e francamente ilegais. E algumas de nós foram colocados em posições onde nos sentimos fisicamente inseguras. Mais de uma mulher em nosso show teve sua trajetória de carreira ameaçada.

 

A linha através de tudo isso foi, e ainda é, nosso apoio inabalável e fé uma nas outras. Confiamos em cada uma. Criamos espaços seguros para falar sobre seu comportamento e como lidar com isso. Para alertar novas mulheres que se juntaram a nossas fileiras. Nós entendemos que muito disso foi orquestrado de maneiras que o impediram de ver a realidade do estúdio em casa. Também entendemos que ninguém estava totalmente inconsciente. A falta de ação que tem sido rotina é intolerável. Queremos, coletivamente, fazer eco às mulheres em todo lugar que exigem uma mudança veemente em todas as indústrias.

 

A muitas de nós nos disseram, durante a filmagem, que a divulgação para falar sobre essa cultura resultaria em cancelamento do nosso show e centenas de pessoas adoráveis, qualificadas, trabalhadoras e talentosas perderiam seus empregos. Esta não é uma pressão adequada para colocar meninas jovens. Muitas de nós desde então ficaram em silêncio em público, mas tiveram canais de comunicação muito abertos em nosso grupo amigo e em nossa indústria, porque queremos que tree hill permaneça o lugar 'onde tudo está melhor e tudo está seguro' para os nossos fãs; alguns dos quais disseram que o programa literalmente salvou suas vidas. Mas a realidade é, nenhum espaço é seguro quando tem um câncer subjacente e infeccioso. Trabalhamos para recuperar nosso poder, tornando as convenções próprias e saboreando as boas lembranças. Mas há mais trabalho a ser feito.

 

Estamos profundamente gratas pela coragem de Audrey. E para todos os companheiros de sexo masculino e membros da equipe que chegaram ao nosso grupo de mulheres para oferecer seu apoio nestes últimos dias. Eles ecoam o maior grito de reunião que deve nos levar a mudar: Acreditem muheres. Nós estamos todos juntos nisso.

 

Com amor e coragem,

 

O elenco,

 

Sophia Bush, Hilarie Burton, Bethany Joy Lenz, Danneel Harris, Michaela McManus, Kate Voegele, Daphne Zuniga, Índia DeBeaufort, Bevin Prince, Jana Kramer, Shantel Van Santen e Allison Munn

 

E corajosa equipe,

 

Audrey Wauchope, Rachel Specter, Jane Beck, Tarin Squillante, Cristy Koebley, JoJo Stephens

 

E o resto das mulheres com quem trabalhamos e estão a encontrar suas vozes enquanto falamos 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.