Projeto Eixo do Fora oferece oficinas em regiões administrativas do DF

As oficinas serão realizadas até 4 de dezembro e serão ministradas por revelações da arte brasiliense

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/11/2017 09:40 / atualizado em 28/11/2017 09:42

Um nome produções/Divulgação
O projeto Eixo do Fora iniciou a etapa de oficinas nesta segunda-feira (27/11). Até 15 de dezembro, os artistas participantes da etapa de imersão ministrarão oficinas gratuitas e abertas ao público em Ceilândia, em Sobradinho II e no Gama.
 
O tema da edição deste ano é "Introdução à arte contemporânea através de uma mini-residência experimental". Com 20 vagas ofertadas por evento, os interessados em participar precisam apenas chegar com antecedência para realizar a inscrição. As oficinas oferecem exercícios de criação artística e intervenção no espaço por meio da fotografia, performance, desenho e outras artes.
 
Os "oficineiros" serão 20 novos talentos da cena artística brasiliense que participaram da imersão feita pelo projeto no início de novembro. A vivência artística teve como base o 2º Salão/Residência, na cidade de Olhos D’Água (GO), orientado pelo pernambucano Aslan Cabral. A experiência teve como objetivo introduzir mais intensamente os novos artistas no mundo da arte para passar os conhecimentos adiante.

Confira a programação completa das oficinas do projeto Eixo do Fora:

27 A 29 DE NOVEMBRO:
14h às 18h: Oficina no Espaço Cultural Galpãozinho (Gama), com Adriana Vignoli, Marcela Campos, Rodrigo Alcântara, Yasmin Adorno e Yanni Luna.
 
30 DE NOVEMBRO A 2 DE DEZEMBRO:
14h às 18h: Oficina no Espaço Cultural Azulim (Sobradinho II), com Gabriel Marques, Katalina Leão, Lívia Brandão, Natasha Albuquerque e Raisa Curty.

2 A 4 DE DEZEMBRO:
14h às 18h: Casa do Cantador do Brasil (Ceilândia Sul), com João Angelini, João Trevisan, Lucas Sertifa, Ludmila Alves e Luisa Gunter.
 
Para saber mais sobre o projeto Eixo do Fora, acesse a página do facebook
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.