Publicidade

Estado de Minas

Robertinho do Recife se apresenta em Brasília

Pai do hit do bloco Babydoll de Nylon volta à cidade para show no Clube do Choro


postado em 22/01/2018 09:19 / atualizado em 22/01/2018 10:24

"Vou fazer um show retrospectivo, que traz no repertório músicas marcantes da minha carreira, iniciada no final da década de 1960" (foto: Hana Khalil)
 
“Baby doll de nylon/ Combina com você/ Babydoll de nylon/ Combina com você/ Pode até ir pro baile/ Ou aparecer na tevê/ Feliz quem pode ver...”. A despretensiosa parceria de Robertinho de Recife e Caetano Veloso transformou-se no grande hit do carnaval de Brasília. Mais que isso, deu nome ao bloco que costumava até o ano passado reunir durante o desfile milhares de foliões de todas as idades.
 
Robertinho, que em 2016, ao participar da folia candanga, se emocionou ao ouvir uma multidão fazendo coro com ele ao cantar Babydoll de nylon, na Praça do Cruzeiro, está de volta à cidade. Nesta segunda e terça-feira faz show no Espaço Cultural do Choro, pelo projeto Clube do Choro convida. Ele tem a companhia de Márcio Chicralla e Sérgio Nassiff.
 
O músico e compositor pernambucano já se apresentou ao lado de grandes nomes da música popular brasileira, como Hermeto Pascoal, Dominguinhos, Wagner Tiso, Moraes Moreira, Lulu Santos, Gal Costa e Marisa Monte; e astros internacionais do porte de Peter Tosh, Andy Summers, Deep Purple e Judas Priest. Com tudo isso, Robertinho está na memória do brasiliense por outro motivo: é dele o arranjo e o solo de guitarra para Revelação, de Clodo e Clésio Ferreira, um dos maiores sucessos de Raimundo Fagner. “Vou fazer um show retrospectivo, que traz no repertório músicas marcantes da minha carreira, iniciada no final da década de 1960, ainda na adolescência”, anuncia.

Metalmania

Guitarrista que transitou com desenvoltura por estilos diversos —  da MPB ao rock, passando por pop, jazz e música erudita, Robertinho ajudou a escrever a história do heavy metal no Brasil, com o álbum Metalmania, de 1984, no qual está registrado Metal mania, um clássico do gênero.
 
“Metal mania não pode faltar em nenhum dos meus shows, assim como Voo de Ícaro, Transcendental e Dança da sedução, do disco Rapsódia rock, de 1990. Costumo tocar também versões de Bolero (Maurice Ravel), Noturno nº 10 (Frédéric Chopin). “Como se observa, é um repertório bem eclético, em que incluí, ainda, Mordida de amor, do Yahoo, grupo pop do qual tomei parte na década de 1980”, adianta.
 
Recentemente, Robertinho gravou com Zé Ramalho um CD com músicas Lado B do cantor e compositor paraibano, como Terceira lâmina, da trilha sonora da peça teatral Os 12 trabalhos de Hércules; e Senhor Ozzy, versão de Mr.Crowley, de Ozzy Osborn. Há ainda algumas inéditas, de nossa parceria, entre elas Portal das entidades”, antecipa. “O álbum vai se chamar Zé Ramalho da Paraíba e Robetinho de Recife”, acrescenta.
 
Com agenda recheada de compromissos, Robertinho se apresentou na semana passada em cidades do interior de São Paulo e prepara-se para participar de um festival em Goiânia. Radicado há algum tempo no Rio de Janeiro. O músico, porém, vai manter-se ausente do carnaval da capital pernambucana. “Lá a politicagem é grande na escolha de quem se apresenta no palco do Recife Antigo e outros espaços. Estou muito feliz por retornar a Brasília e gostaria muito de ter Clodo Ferreira comigo nesse show no Clube do Choro”, finaliza.

Robertinho de Recife
Show do guitarrista e cantor, acompanhado por Márcio Chicralla e Sérgio Nassiff, segunda e terça, às 21h, pelo projeto Clube do Choro Convida. No Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade