Publicidade

Estado de Minas

Cinema nacional bate recorde de lançamentos em 2017, mas público tem queda

Segundo a Ancine, o número de lançamentos é o maior desde 1995


postado em 30/01/2018 13:40 / atualizado em 30/01/2018 13:44

'Minha mãe é uma peça 2' foi campeão nacional de público (foto: DownTown filmes/Divulgacao)
'Minha mãe é uma peça 2' foi campeão nacional de público (foto: DownTown filmes/Divulgacao)

 
O cinema brasileiro bateu recorde de lançamentos no ano de 2017. 158 filmes foram lançados, enquanto 142 saíram em 2016. O ano passado também foi o maior em lançamentos de animações e de documentários. Segundo a Agência Nacional do Cinema (Ancine), foram sete animações e 60 documentários. Em 2016, apenas um longa de animação e 44 documentários foram lançados. Os lançamentos estão em constante aumento desde 2014, quando 114 filmes foram lançados. De 1995 a 2017, seis quedas no número de lançamentos foram registradas. 
 
O número de espectadores, no entanto, caiu. Em 2017, o público contabilizado foi de 181,2 milhões de pessoas, contra 184,3 milhões em 2016. Apesar dessa queda, os filmes estrangeiros venderam quase 10 milhões a mais do que no ano anterior: o número passou de 153,9 milhões para 163,7 milhões.
 
Os filmes brasileiros com maiores públicos foram Minha mãe é uma peça 2, Polícia Federal — A lei é para todos e Os parças. O primeiro atingiu a marca dos 5 milhões, enquanto os outros dois ficaram empatados 1,3 milhão. O campeão de público geral em 2017 foi Meu malvado favorito 3, com quase 9 milhões.

De acordo com a Ancine, os estados que lançaram o maior número de filmes foram Rio de Janeiro, com 65 produções; São paulo, com 55; e Rio Grande do Sul, que lançou 9 filmes. Os dados são baseados no estado em que se localiza a empresa que produziu o filme. Outro dado mostrado pela Agência é o gênero de quem dirigiu os filmes. Nota-se uma diferença considerável entre diretores e diretoras: dos filmes lançados, 122 foram dirigidos por homens e apenas 25 por mulheres. 11 têm direção mista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade