Publicidade

Estado de Minas

Bloco do Peleja lança financiamento coletivo para sair às ruas na Asa Norte

As doações variam entre R$ 20 e R$ 100, todas com algum retorno para o público


postado em 31/01/2018 07:30 / atualizado em 31/01/2018 12:15

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

Desde 2013, o tradicional Samba do Peleja faz parte do pré-carnaval brasiliense com um bloco. Neste ano, o Bloco do Peleja chega ao seu sexto desfile, que ocorrerá em 3 de fevereiro, a partir das 15h, na Praça dos Prazeres (201 Norte). Como tem feito todo ano, o grupo busca alternativas de financiamento para sair às ruas. “Sempre acreditamos que um bloco de carnaval deve ter fontes próprias de financiamento. Especificamente para o carnaval, começamos vendendo camisetas. Depois, após algumas incertezas sobre se o apoio do GDF,  viria ou não, resolvemos fazer financiamentos coletivos. O Peleja sempre teve o perfil de financiamento coletivo”, explica Marcos Urupá, um dos idealizadores do bloco.

Até quinta-feira (1º/2), os foliões podem ajudar o Bloco do Peleja participando do financiamento coletivo no site Benfeitoria. O objetivo do grupo é arrecadar R$ 4 mil para custear a estrutura de som, o carro de som, os banheiros, seguranças e a decoração. “O público tem compreendido que o Bloco do Peleja tem um perfil coletivo e temos conseguido atingir as metas até aqui. Estamos procurando também as pessoas individualmente, fazendo posts com marcações, ligando para amigos, mandando mensagens pelo whatsapp, enfim. Estamos confiantes de que vamos, mais uma vez, atingir a nossa meta”, completa.

Até ontem, o bloco já havia arrecadado R$ 4.140, 4% a mais do que o esperado. As doações variam entre R$ 20 e R$ 100, todas com algum retorno para o público. As recompensas vão do agradecimento nos registros dos blocos passando por participação no ensaio do Samba do Peleja, a camiseta oficial e umpresente.

Além do financiamento coletivo, o dinheiro utilizado para colocar o bloco na rua também vem de outras iniciativas do Peleja. Como o grupo surgiu de um samba tradicional na cidade, eles aproveitam as rodas de samba durante o ano para “passar o chapéu” em busca de recursos. “Essa iniciativa nos dá também um recurso que servirá para ajudar nos gastos de som, pagamento de segurança, entre outros”, explica Urupá.


Alternativa na folia

A escolha por financiamento coletivo não é uma novidade no carnaval brasiliense. Blocos como Aparelhinho e Babydoll de Nylon que não sairá às ruas em 2018 já usaram essas propostas. O Aparelhinho fez um crowdfunding em 2013 para melhorar a estrutura do carro de som do grupo.

Neste ano, o bloco, criado pelo coletivo Criolina, participa do Imagina do carnaval, evento promovido em parceria com o coletivo Labirinto no Setor Comercial Sul, para agitar o pré-carnaval e ainda garantir recursos aos blocos. Participaram da edição deste ano Divinas Tetas, Essa Boquinha Eu Já Beijei e Afete-se. O Aparelhinho é a atração deste sábado, às 22h. No carnaval, o bloco sai na segunda-feira, 12 de fevereiro, no Setor Comercial Sul.

Bloco do Amor, que desfilou no último domingo e reuniu quatro mil pessoas na via S2, também optou pelo financiamento coletivo. Antes de sair às ruas, o grupo buscou o site Vaquinha para arrecadar R$ 5 mil e acabou conquistando R$ 2.085. Outro grupo que optou por formas alternativas é o Bora para Cuba, que desfila em 8 de fevereiro, na 201 Norte. Desde o início do ano, o grupo Sabor de Cuba oferece almoços e vende artigos, como camisetas, para arrecadar verbas para a folia.
 
Pré-carnaval do Peleja
•Em 3 de fevereiro, a partir das 15h, o bloco retorna a 201 Norte com saída no estacionamento atrás da Praça dos Prazeres. O evento terá novidades no repertório, mas sempre dentro do estilo musical do grupo, que é o samba. Entre as atrações estão o Samba do Peleja e o Coletivo Lúdico de Samba. A entrada é franca. Classificação indicativa livre. Para ajudar, clique aqui.

Programe-se
3/2/2018
2º Carnaguará
•EQ 21/36 Avenida Central (Guará). Sábado, das 15h às 23h. Festa de rua criada pelo grupo de mães do Guará com marchinhas e música. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Baile Azul e Branco
•SRES Cruzeiro Velho. Sábado, às 20h. Shows com diversas atrações musicais. Entrada gratuita. Classificação indicativa livre.

Bagaço de Carnaval —Baile de máscaras
•Setor de Clubes Esportivos Sul - Tr.3. Sábado, às 22h. Diversas atrações musicais. Ingressos: R$ 30 (para os 200 primeiros), R$ 40 (para os 200 seguintes), R$ 40 (nome na lista até a 0h) e R$ 50 (na portaria). Valores referentes à meia-entrada e sujeitos a alteração. Não recomendado para menores de 18 anos.

Ensaio Bailinho com Ventoinha de Canudo
•Conjunto Nacional (SDN, CNB, cj A; 
2106-9714). Sábado, às 18h. Atividades carnavalescas para o carnaval. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Imagina no carnaval
•Setor Comercial Sul. Sábado, às 22h. Bloco Aparelhinho e shows com diversas atrações musicais. Ingressos: R$ 35 (único dia). Valor referente à meia-entrada e sujeito a alteração. Não recomendado para menores de 18 anos.

Bloco Bahia de Todos os Sons
•Clube Vizinhança - Unidade Asa Norte (604 Norte). Sábado, das 12h às 18h. Diversas atrações musicais, incluindo o grupo Patubatê. Verifique o valor do ingresso e a classificação indicativa.

Bloco Fio Desencapado
•Quarta avenida do Sudoeste. Sábado, às 15h. Diversas atrações musicais. Entrada gratuita. Classificação indicativa livre.

Bloco Galo Cego
•Outro Calaf (SBS). Sábado, às 13h. Concentração do bloco seguido de festa à fantasia dentro do Outro Calaf. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Bloquinho das antigas
• Clube de Engenharia de Brasília (SCES Tr. 2). Sábado, às 16h. Shows com Thiago Nascimento, Danilo & Daniel, Carnavália e MC Bockaum. Ingressos: R$ 30 e R$ 350 (pacote amigo 4 ingressos combo). Valores referentes à meia-entrada e sujeitos a alteração. Não recomendado para menores de 18 anos.

Bondinho
•Ascade (SCES Tr. 2, cj 10, lt 18). Sábado, às 18h. Shows com DJ Tartaruga, Adriana Samartini, entre outros. Ingressos: R$ 80 (masculino) e R$ 70 (feminino). Valores referentes à meia-entrada e sujeitos a alteração. Não recomendado para menores de 18 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade