Economia
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mantega: 2013 deverá ser o último ano da crise internacional "É um ano ainda de crise, provavelmente, o último da crise internacional", disse, ao comentar os resultados do Produto Interno Bruto (PIB), divulgados nesta terça-feira (3/12)

Agência Brasil

Publicação: 03/12/2013 17:06 Atualização:

São Paulo - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, acredita que 2013 é o ano da despedida dos resultados ruins deixados pela crise mundial, iniciada em 2008. “O mundo não vive um ano fácil, embora para o Brasil, 2013 está sendo melhor do que 2012. É um ano ainda de crise, provavelmente, o último da crise internacional”, disse, ao comentar os resultados do Produto Interno Bruto (PIB), divulgados nesta terça-feira (3/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Sobre as previsões de analistas de que a nota do Brasil deve ser rebaixada pelas agências que avaliam os riscos de investimentos, Mantega argumentou que as projeções do mercado indicavam uma queda média de 0,2% no PIB do terceiro trimestre, e recuo de 0,5%, divulgado hoje, ficou próximo do patamar previsto. O mesmo ocorreu, segundo o ministro, com a taxa de crescimento no acumulado de quatro trimestres, que atingiu 2,3%, ante os 2,5% esperados pelo mercado.

Em vários momentos, o ministro salientou que o país “está em uma trajetória de crescimento gradual”, situação vivenciada em outros países. O resultado do terceiro trimestre, na avaliação do ministro, foi prejudicado pela base de comparação com o trimestre anterior em que havia uma concentração da produção no país, principalmente, no segmento da agropecuária.

Leia mais notícias em Economia

Segundo o ministro, nenhum país está conseguindo alcançar a velocidade de crescimento ideal, mas o cenário pode ser de superação e melhoria em 2014. "Se você olhar os Estados Unidos, em processo de recuperação, o crescimento do PIB deles está em torno de 1,6% ou 1,7%, um pouco menor do que o nosso. O México está crescendo menos de 2%, a Índia desacelerou e a União Europeia está com um PIB negativo no ano, de 0,4%, mas poderá ir para um PIB positivo no próximo ano. Os países emergentes que desaceleraram neste ano deverão passar para a estabilidade”, disse.

Mantega, no entanto, acredita ser cedo para fazer projeções sobre o último trimestre do ano, porém a expectativa é de melhor desempenho da econonia brasileira, impulsionado pelos investimentos em bens de capital, com alta de 6% em comparação a 2012; e a produção agrícola. “A dúvida fica em serviços do comércio varejista”.

Quanto à meta de equilíbrio fiscal, o ministro informou que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) tem sido seguida e a arrecadação apresenta bons sinais, principalmente em relação ao recolhimento do Imposto de Renda sobre o Lucro Líquido. No entanto, não citou valores.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: joaquim pereira
Até gostaria de acreditar no Ministro. Mas quase tudo que ele fala não se confirma. Não sou adepto do ceticismo, porém os fatos por si só mostram uma outra realidade. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.