Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pela primeira vez, OMC entregou o que prometeu, diz Roberto Azevêdo Em declarações publicadas na página da OMC na internet, Azevêdo disse que os países mostraram comprometimento em relação à conclusão da Rodada Doha

Agência Brasil

Publicação: 07/12/2013 17:26 Atualização:

As declarações de Azevêdo foram publicadas na página da OMC na internet (Carlos Moura/CB/D.A Press)
As declarações de Azevêdo foram publicadas na página da OMC na internet


O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevêdo, disse que o organismo internacional finalmente conseguiu entregar o que estava estipulado desde a sua criação: um acordo global para derrubar as barreiras comerciais. “Pela primeira vez na história, a OMC verdadeiramente entregou o que promete”, declarou Azevêdo, após a conclusão do acordo sobre o tema em reunião na Ilha de Bali, na Indonésia.

Em declarações publicadas na página da OMC na internet, Azevêdo disse que os países mostraram comprometimento em relação à conclusão da Rodada Doha, cujas negociações começaram em 2001 com previsão de término em 2005, mas estavam travadas há quase dez anos. “Desafiei todos vocês, aqui em Bali, a mostrar a vontade política de que precisávamos para nos levar até a linha de chegada. Vocês fizeram isso, e eu agradeço a vocês por isso”, destacou.



O acordo que pôs fim à paralisação da Rodada Doha deu mandato à OMC para preparar, nos próximos 12 meses, um programa de trabalho para a retomada das negociações. Os países desenvolvidos querem a abertura dos mercados aos produtos industrializados. Já os países em desenvolvimento e a Austrália, agrupados no G20, querem a retirada dos subsídios que prejudicam as exportações de produtos agropecuários para os países ricos.

“É muito bem-vindo que vocês nos tenham instruídos a preparar, nos próximos 12 meses, um programa de trabalho claramente definido para esse fim”, disse o diretor-geral da OMC, após cinco dias de reunião em Bali.

Leia mais notícias em Economia

O ministro indonésio do Comércio, Gita Wirjawan, também comemorou o resultado da reunião dos 159 delegados de países-membros da OMC. “Alcançamos o que muitos disseram que não poderia ser feito. O presidente [da Indonésia] Susilo Bambang Yudhoyono nos disse na quinta-feira que o clima místico de Bali teria um efeito positivo nas nossas negociações. Este é o lugar onde os acordos são fechados. Estou satisfeito que Bali não tenha nos decepcionado”, comentou.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.