Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PIB do governo Dilma terá a média mais baixa dos últimos 20 anos Economia deve avançar apenas 2,1% em 2014. Em busca de um novo mandato, Dilma Rousseff terá a pior média desde a era Collor

Deco Bancillon

Publicação: 10/12/2013 06:04 Atualização: 10/12/2013 09:02

No ano em que tentará a reeleição, a presidente Dilma Rousseff enfrentará uma situação complicada. Caso se confirmem as previsões dos principais analistas do mercado financeiro, o crescimento da economia em 2014 não passará de míseros 2,1%. Será o segundo pior desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) desde que ela assumiu o poder, em 2011. Antes disso, a marca mais decepcionante foi atingida em 2012, quando a soma das riquezas produzidas no país avançou apenas 1% — dado já revisado de uma alta calculada anteriormente em 0,9%. Com isso, o governo da primeira mulher a comandar o país terá a média mais baixa das últimas duas décadas.

“As apostas para 2014 já estão na mesa”, alertou o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito. Depois de um terceiro trimestre decepcionante, em que a economia encolheu 0,5%, os analistas reviram suas projeções para o ano que vem. A avaliação dominante no mercado é de que, com a piora da política fiscal e da inflação, o país passará por momentos delicados a partir de janeiro.

Leia mais notícias em Economia

Estimativas de consultorias especializadas apontam que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), parâmetro oficial para o custo de vida, deverá romper os 6% entre julho e agosto, período em que a corrida eleitoral estará pegando fogo. No apagar das luzes de 2014, quando o país terá conhecido o próximo presidente, o indicador atingirá 5,92%, conforme as previsões de 100 instituições financeiras consultadas semanalmente pelo Banco Central na pesquisa Focus. Será o quinto ano consecutivo em que a inflação fechará bem acima do centro da meta de 4,5%.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.