Economia
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cortes na Gol fazem companhia operar no limite; clientes sofrem com atrasos Empresa aérea admite, em reunião com agência reguladora, que falhas no gerenciamento de tripulantes resultaram no caos que atormenta passageiros desde a última quinta-feira. Multa à companhia está em R$ 2,5 milhões, mas pode dobrar

Rosana Hessel

Sílvio Ribas

Publicação: 10/12/2013 06:03 Atualização: 10/12/2013 08:02

Moreira Franco, da SAC, cobra mais agilidade do órgão fiscalizador (Rafael Ohana/CB/D.A Press - 13/7/11)
Moreira Franco, da SAC, cobra mais agilidade do órgão fiscalizador


Os duros ajustes financeiros e administrativos promovidos pelas companhias aéreas desde 2012, para voltar ao lucro, com corte de pessoal e de rotas, não resistiram ao primeiro grande teste. A Gol, vice-líder do mercado doméstico, com quase 40% do tráfego, deixou evidente no último fim de semana o curto espaço de manobra que lhe restou para lidar com dificuldades inesperadas, causadas pelas fortes chuvas na região Sudeste. Os altos custos de manutenção de aeronaves e de combustível deixaram, segundo especialistas, a sua operação no limite.

Para avaliar os transtornos nos maiores aeroportos do país causados pelo grande número de voos atrasados e cancelados desde quinta-feira, sobretudo no caso da Gol , a diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) se reuniu ontem, no Rio de Janeiro, com representantes das principais empresas. A constatação foi óbvia. Segundo o presidente da Anac, Marcelo Guaranys, houve “falhas no gerenciamento de tripulação da companhia”.

Leia mais notícias em Economia

Com o quadro de pessoal extremamente enxuto, a Gol não conseguiu se programar para a possibilidade de uma equipe não conseguir chegar a tempo ao destino. A conta dos erros de cálculos foi paga pelos consumidores, que enfrentaram atrasos e voos cancelados, sem que os funcionários da empresa dessem qualquer explicação para tanto transtorno. O descaso e a demora da Gol e da Anac em reagir ao caos foram duramente criticadas pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Luis Machado
O primeiro erro já foi a aprovação da compra da webjet e da Varig pela Gol, em consequência muitos postos de trabalho foram perdidos, pra que? pra manter lucro. Agora vai fazer o q? Deixar de voar para ter lucro? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.