Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Presentes de última hora animam vendas do comércio popular no centro do Rio O cansaço era nítido no rosto dos vendedores, que nos últimos dias enfrentaram uma verdadeira maratona, trabalhando inclusive durante o final de semana

Agência Brasil

Publicação: 24/12/2013 17:12 Atualização:

Movimento de consumidores para compras de Natal de última hora na região de comércio popular do Saara (Tomaz Silva / Agência Brasil)
Movimento de consumidores para compras de Natal de última hora na região de comércio popular do Saara

Rio de Janeiro –
Faltando poucas horas para a ceia de Natal, milhares de cariocas ainda disputavam presentes nas lojas de comércio popular do centro histórico do Rio, que decidiram ficar abertas até pelo menos as 16h desta terça-feira (24/12). O cansaço era nítido no rosto dos vendedores, que nos últimos dias enfrentaram uma verdadeira maratona, trabalhando inclusive durante o final de semana.

O presidente da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara), Enio Bittencourt, comemorou os resultados. “A cada ano que passa, aumenta mais o fluxo de clientes e as vendas. Nós tivemos um Natal muito bom em 2012 e este ano está sendo melhor ainda. Tivemos de 10% a 15% a mais de faturamento em relação ao ano passado. Ontem, recebemos mais de 1 milhão de pessoas nas nossas 11 ruas”, disse Enio.

A região da Saara concentra o comércio popular do centro do Rio, com 1.250 lojas e cerca de 10 mil empregados. “Contratamos mais mil [trabalhadores] extras para este Natal. Graças a Deus não tem crise aqui na Saara”, disse Enio, que há 25 anos preside a entidade.

Leia mais notícias em Economia

A garantia dos lucros de última hora ocorre graças a clientes como a depiladora Juliana Figueiredo, que no meio da tarde ainda escolhia roupas em uma das gôndolas que ficam em frente às lojas: “Deixei para a última hora. Comprei tudo aqui na Saara”. O comerciante Francisco de Amorim também escolhia às pressas um par de sapatos para a esposa: “Saí do trabalho e só consegui vir agora”, justificou.

A multidão de consumidores é o ganha-pão do locutor Jair Oliveira dos Santos, que fica sentado em um banquinho, em frente à loja, anunciando por um microfone as ofertas do dia. “O movimento foi ótimo neste Natal. Muita gente comprando. Todo mundo deixa para a última hora. Enquanto tiver gente na rua, nós ficamos abertos”, disse Jair.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.