Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Presidente português não exclui linha de precaução para recuperar economia Em maio de 2011, Portugal recebeu uma ajuda financeira de 78 bilhões de euros, em três anos, acordada pela União Europeia e o FMI

France Presse

Publicação: 01/01/2014 21:53 Atualização:

Lisboa - O presidente português Aníbal Cavaco Silva afirmou nesta quarta-feira que Portugal não precisará de um segundo plano de resgate, mas não excluiu a necessidade de recorrer a uma linha de crédito de precaução.

"Existem razões para crer que Portugal não irá precisar de um segundo plano de resgate", disse Cavaco Silva em sua tradicional mensagem de ano novo transmitida pela televisão.

"Um programa de precaução é uma realidade diferente. Nós podemos contar com nossos parceiros europeus para termos acesso aos mercados financeiros", acrescentou.

Leia mais notícias em Economia

Em maio de 2011, Portugal recebeu uma ajuda financeira de 78 bilhões de euros, em três anos, acordada pela União Europeia e o fundo Monetário Internacional (FMI). Em troca, o país teve que implementar uma série de medidas de austeridade a fim de reduzir suas dívidas.

"Para voltarmos aos mercados, com taxas razoáveis, é preciso que o programa de ajustamento seja concluído com sucesso", disse Cavaco Silva.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.