Economia
  • (7) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Gastos da União com viagens de servidores ao exterior crescem 45% Faltam critérios objetivos e transparência para definir a ida de servidores dos três Poderes a outros países. Deslocamentos em 2011 consumiram R$ 147,7 milhões de dinheiro público. No ano passado, essa despesa superou os R$ 214 milhões

Antonio Temóteo

Publicação: 02/01/2014 07:00 Atualização:



Os gastos da União com o pagamento de diárias e passagens para servidores em viagens internacionais dispararam entre 2011 e 2013. Levantamento feito pelo Contas Abertas a pedido do Correio aponta que Executivo, Legislativo e Judiciário desembolsaram juntos R$ 147,7 milhões no primeiro ano de mandato da presidente Dilma Rousseff e R$ 206,7 milhões em 2012, elevação de 40%. No ano passado, a despesa chegou a R$ 214,1 milhões, aumento de 3,5% em relação a 2012. Considerando os três anos do atual governo, o acréscimo foi de 44,9%.

No Executivo, o Ministério do Planejamento esclareceu que a concessão de diárias e passagens aos servidores para viagens internacionais é uma atribuição exclusiva de cada ministro, podendo ser delegada ao secretário executivo ou autoridade equivalente. Após a viagem, é necessário apresentar um relatório com os bilhetes das companhias aéreas, mas a norma não prevê que seja produzido qualquer documento que descreva o que foi feito pelo viajante ou se houve algum resultado que poderia ser revertido em benefício da administração pública.

Esses gastos podem ser muito maiores, uma vez que o governo colocou sob sigilo todas as informações relativas às viagens que a presidente Dilma e o vice, Michel Temer, incluindo suas comitivas, fizeram no exterior. Os dados só poderão ser divulgados depois que ela deixar o Palácio do Planalto, em 31 de dezembro de 2014. Ou, se reeleita, em 2018. O séquito da presidente e os gastos dela em outros países são fonte constante de critica da oposição que aponta falta de cuidado com o dinheiro do contribuinte.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (7) comentários

Autor: Ivano Horácio
E o Renam será que devolverá as diárias que recebeu para a tal missão oficial (implante capilar)? Aliás ele deveria também ter feito um implante de barba para ficar igualzinho os petebas até porque são todos iguais. | Denuncie |

Autor: Cassio
Superficial essa análise. Aqui no meu setor existem viagens constantes para reunioes de trabalho/seminarios nos quais o Brasil TEM que mandar representantes (BID,OEA, ONU, FMI,etc). E é obrigatório SIM, produzir relatório de trabalho detalhado, inclusive com os gastos feitos e notas, bilhetes,etc. | Denuncie |

Autor: Oscar Santos
Turismo à custa do contribuinte ! | Denuncie |

Autor: andre afm
E viva a transparência!!! | Denuncie |

Autor: Leonardo Victor
Viva a transparência e ditadura ! | Denuncie |

Autor: Leonardo Dantas
Não acredito que a diferença dos valores seja motivo de alarme. Cabe verificar o câmbio médio dos anos em destaque, afinal o valor é mostrado em reais e as viagens custeadas em moeda estrangeira. O benefício das viagens pode ser um curso ou participação em seminário de capacitação, difícil mensurar. | Denuncie |

Autor: Wesley Alves
Estas viagens na sua maioria só servem para ostentar o luxo pessoal de algumas carreiras consideradas de Estado, mesmo que isso não traga nenhum benefício direto para a sociedade. Agora, cabe a cada brasileiro levar isso em conta na hora de votar para Presidente. País rico é país transparente. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.