Economia
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Balança comercial brasileira encerra 2013 com pior superávit em treze anos Os números estão de acordo com a expectativa do governo, que vinha anunciando estimativa de superávit pequeno, em função da queda das exportações de petróleo

Agência Brasil

Publicação: 02/01/2014 16:04 Atualização: 02/01/2014 15:30

 (Reprodução Agência Brasil)
A balança comercial brasileira encerrou o ano com superávit (exportações maiores que importações) de US$ 2,561 bilhões. Trata-se do pior resultado desde 2000, quando houve saldo positivo de US$ 2,684 bilhões. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (2/1) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os números estão de acordo com a expectativa do governo, que vinha anunciando estimativa de superávit pequeno, em função da queda das exportações de petróleo.

O saldo positivo anual foi resultado de US$ 242,1 bilhões em exportações e US$ 239,6 bilhões em importações. A média diária das vendas externas, que corresponde ao volume financeiro vendido por dia útil, fechou o ano em US$ 957,2 milhões, patamar 1% inferior aos US$ 966,4 milhões registrados em 2012. As importações cresceram 6,5% segundo o critério da média diária, de US$ 889,2 milhões por dia útil em 2012 para US$ 947,1 milhões em 2013.

Em 2013, cresceram as vendas externas de produtos manufaturados (1,8%), enquanto caíram as de produtos semimanufaturados (-8,3%) e de básicos (-1,2%) na comparação com 2012. Nas importações, houve crescimento nos gastos com combustíveis e lubrificantes (+13,8%), matérias-primas e intermediários (+5,8%), bens de capital (+5,4%) e bens de consumo (+ 3,4%).

As exportações de industrializados subiram principalmente em função das plataformas de extração de petróleo, que tiveram aumento de receita de 426,4% em relação ao ano passado. As vendas de plataformas, no entanto, são o que se chama exportações fictas. Repassadas a subsidiárias da Petrobras no exterior, elas não chegam a deixar o Brasil.

Leia mais notícias em Economia

Do lado dos produtos responsáveis pela queda, entre os itens que puxaram o recuo nas vendas de semimanufaturados estão óleo de soja bruto (-35% de receita), semimanufaturados de ferro e aço (-30%), ferro fundido (-21,5%), alumínio bruto (-20,1%), ferro-ligas (-16,3%), ouro (-9,6%) e açúcar (-9,4%). No caso dos produtos básicos, caiu o ingresso financeiro obtido com algodão bruto (-47,8%), petróleo bruto (-36,7%), café em grão (-20,5%), carne suína (-9,7%) e fumo em folhas (-0,9%).

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior também divulgou nesta quinta-feira os resultados do mês de dezembro. No último mês de 2013, houve superávit de US$ 2,654 bilhões, resultado de US$ 20,8 bilhões em exportações e US$ 18,1 bilhões em compras do Brasil no exterior.

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Ernani oliveira
O governo do PT fez a obrigação de acabar com o PLANO REAL. Tai o resultado!!!!! | Denuncie |

Autor: José A. S. Neto
Como não ser assim em um país onde, principalmente os industriários, por moti vos políticos, preferem reduzirem sua produção em vez de buscar aperfeiçoamentos e maior produtividade ? ? ? Apenas o ramo agropecuário NÃO CANSA DE BATER RECORDS CONSTANTES DE PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE. Pena mesmo ! ! ! | Denuncie |

Autor: GILMAR PEREIRA
transporte publico péssimo, incentivo a compra de veículos individuas da aumento de consumo de combustíveis então não pode haver exportação , impostos autos junto a ganancia dos empresários ouve o turismo de consumo foro do pais . | Denuncie |

Autor: Epaminondas Levis
Uhu! E ainda vai piorar mais ainda! Pra a corda esse povo da Banânia. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.