Economia
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mantega quer explicações sobre demissões na indústria automotiva %u201CDe fato as empresas não podem estar demitindo trabalhadores%u201D, disse o ministro da Fazenda

Agência Brasil

Publicação: 03/01/2014 15:27 Atualização:

Ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante divulgação do superávit primário registrado pelo Governo Central  (Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante divulgação do superávit primário registrado pelo Governo Central

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta sexta-feira (3/1) que quer explicações da indústria automotiva sobre demissão de trabalhadores. Hoje à tarde, o ministro tem reunião com o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, e vai conversar sobre anúncio de demissões na General Motors (GM) .

“De fato as empresas não podem estar demitindo trabalhadores”, disse o ministro. Quando o governo anunciou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de veículos, havia acordo de que não houvesse demissões.

Leia mais notícias em Economia

No último dia 24, o governo publicou decreto aumentando o IPI dos automóveis, mas as alíquotas ainda não voltaram ao patamar original. O ajuste será gradual neste ano. “É verdade que já estamos subindo, mas ainda tem uma folga de IPI”, disse o ministro.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Wilson Miranda
Facil entender, as montadoras querem beneficios fiscais, sempre usam as demissoes para ganhar alguma coisa. Impressionante como no Brasil utilizam a chantagem contra o governo que SEMPRE cede, ainda mais agora que é ano eleitoral, e a propaganda é de pleno emprego, portanto..... | Denuncie |

Autor: MURILO TIMO
Eu gostaria muito de dar essa resposta, o pais com a carga tributária mais alta do planeta, os carros mais caros do mundo, está querendo o que? | Denuncie |

Autor: Fabio Maia
É muita cara-de-pau desse ministro pensar que ao anúncio da volta do IPI mais caro as indústrias não iriam se retrair devido a consequente diminuição do consumo. Ele como ministro da fazenda, tinha que ficar mais sentado na cadeira dele e pensar num sistema tributário mais justo! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.