Economia
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Briga boa na telefonia: Telefónica, Oi e Claro se unem para fatiar a TIM

Sílvio Ribas

Publicação: 04/01/2014 08:02 Atualização:

O mercado brasileiro de telefonia móvel começou o ano dominado pela pergunta “O que vai acontecer com a TIM?”, cuja resposta definirá o desenho da concorrência no setor. Diante do balde de água fria jogado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), um mês atrás, na tentativa de união da operadora italiana com a líder, Vivo, sobram especulações sobre qual caminho seguirá a Telefónica, da Espanha, a virtual controladora das duas.

O órgão antitruste do Brasil mandou o grupo espanhol vender a sua participação na TIM Brasil ou buscar novo parceiro para o capital da Vivo. Mas há ainda quem sustente a tese de um fatiamento das atividades da empresa entre As duas demais concorrentes: Claro e Oi. Ontem, a imprensa italiana informou que a Telefónica está trabalhando numa oferta conjunta para assumir o controle acionário da TIM no Brasil e dividir a operação dela.

O grupo espanhol, que é sócio da TIM Brasil por meio dos 15% de participação na Telecom Italia, estaria tentando criar uma holding de investimento com a Claro, da America Novil, multinacional do mexicano Carlos Slim, e a brasileira Oi, recém-fundida à Portugal Telecom.

As informações vindas da Europa apontam que o banco de investimento Pactual estaria coordenando essa costura, que contaria ainda com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em favor de uma consolidação do setor. A oferta pela TIM Brasil poderia ocorrer antes do fim deste mês. O conselho da Telefónica se reunirá na próxima semana para debater o assunto.

A especulação impactou diretamente nos preços dos papéis das companhias envolvidas na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa). As ações ordinárias da Oi tiveram alta de 25,07% e as preferenciais, de 17,14%. As da TIM, por sua vez, subiram 10,89%. A controladora espanhola disse que não comentará as notícias sobre o arranjo societário e a Telecom Italia afirmou ontem, em comunicado, que desconhecia qualquer oferta pela sua unidade TIM Brasil. Uma possibilidade ainda não descartada é de a Telefônica questionar na Justiça a decisão do Cade, arrastando o desfecho para 2015.

Especialistas ressaltam, contudo, que a instrução do Cade já tinha sepultado de vez a hipótese do fatiamento da operadora, para que fosse comprada pelas outras de alcance nacional. “A TIM terá de ser vendida a um competidor com experiência e sem participação em outra empresa de telefonia no Brasil. Mas ainda estão insistindo em enxergar alternativas porque sabem que a legislação brasileira é muito favorável a eles”, sublinhou o consultor Dane Avanzi. Segundo ele, o país é, de longe, onde as multinacionais de telecomunicações mais ganham, daí o interesse em manter os ativos.
Tags:

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Joel rodrigues
Toda a telefonia móvel deve ser reestatizada. Eles foram financiados com dinheiro público do BNDES e continuam ineficientes sendo campões de reclamações do PROCON. Ganham muito e não dão retorno ao povo brasileiro | Denuncie |

Autor: Silvio Rohden
O nosso maior problema é a ANATEL,que trabalha em favor dos cartéis, é um jogo faz de contas,pois a cada dia os serviços telefônicos só pioram,e não se vê uma punição a altura,pois denota-se que há conivência entre as partes,e a tendência é só piorar,vamos ver como vão ficar estes serviços até a copa | Denuncie |

Autor: enzo Pereira
O que o Governo deveria fazer era investir no controle da qualidade dos serviços dessas empresas e abrir o mercado. Quem tiver competência se estabelece. Nem quero saber que empresa é. Me interessa mesmo o preço e a qualidade dos serviços. Ou seja, o custo-benefício. | Denuncie |

Autor: denis rio
E tem gente (Luciano Hulck) que fica colocando a sua reputação em jogo fazendo propaganda de uma porcaria dessas.Alguém consegue fazer uma ligação de um grande evento? Alguém consegue completar uma vídeo chamada no plano piloto? A ANATEL ainda diz que o serviço é satisfatório. | Denuncie |

Autor: JOSÉ COSTA
A telefonia brasileira é caso de polícia. Pagamos caro, ou melhor, somos assaltados, por um serviço de péssima qualidade. Sobram autoridades no segmento e falta autoridade para resolver, para dar solução, para exigir. Nunca vi tanta incompetência num mesmo balaio, infelizmente. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.